SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO E ESPORTE DO ACRE 

notícias

da

educação

Planetário impressiona crianças de escola da zona rural de Brasileia

Foto Planeta

Railan Valentim de Oliveira, de 10 anos, acordou eufórico com o que viveria na manhã de quinta-feira, 25, no centro de Brasileia. Ele é um dos cerca de 30 estudantes da escola municipal Valéria Bispo Sabala, distante 26 quilômetros da cidade pela Estrada do Pacífico.

Na escola, disseram à turma que eles teriam a oportunidade de conhecer o espaço interplanetário. “Vi Júpiter bem de perto e os anéis de Saturno voando sobre minha cabeça. Essas coisas eu só tinha visto nos livros. Foi muito bom”, diz Railan, empolgado.

O colega Marlon de Castro diz ter se impressionado com a beleza das estrelas. “A gente vê de longe, do quintal da casa da gente, e nem imagina o quanto elas são ainda mais bonitas de perto”, diz.

DSC 0103

O planetário, uma superbolha de ar com um potente projetor, mostra a cada sessão de mais ou menos uma hora singularidades do universo conhecido, com ênfase nas galáxias, na formação dos planetas e em como nascem e morrem as estrelas.

“Eu fiquei com um pouco de medo logo que entrei porque é tudo muito escuro. Mas depois a gente vai se acostumando e tudo fica muito bacana. Ver todas aquelas paisagens e a lua de perto é coisa que eu nunca mais vou me esquecer”, frisa Marlon.

No hall de entrada, a exposição Paisagens Cósmicas complementa com belíssimas imagens do Universo o que o público juvenil poderá ver no planetário.

 

Estudantes de Assis Brasil participam pela primeira vez da Viver Ciência

DSC 0259

Estudantes da Escola Íris Célia Cabanellas Zannini, de Assis Brasil (distante 344 quilômetros de Rio Branco) participam das atividades da 1ª Mostra Viver Ciência Itinerante, do governo do Estado do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Esporte, a SEE, no Vale do Alto Acre.

Em ônibus fretado com recursos da própria escola, pelo menos 15 alunos do 9º ano do ensino fundamental, e outros cinco do ensino médio, puderam experimentar, por exemplo, práticas interessantes sobre matemática apresentadas pelos profissionais do Instituto de Matemática, Ciência e Filosofia, o IMCF.

Os adolescentes foram acompanhados do professor Jurandir Pereira da Silva, que leciona matemática, e da professora Francimar Marques do Nascimento, de ciências.

É a primeira vez que uma escola de Assis Brasil, na fronteira com o Peru, participa de um evento de ciência. “A nossa satisfação é imensa. Poder compartilhar com os estudantes na observação prática dos conteúdos que são ministrados em sala de aula é algo único e que serve de estímulo para nós, professores”, ressalta Pereira da Silva.

A ideia, segundo o professor, é que a partir de agora os conhecimentos adquiridos na Mostra sejam repassados aos demais estudantes que permaneceram na escola.

Secretário e Subsecretário de Educação são homenageados durante as comemorações dos 101 anos da PM

medalhas1

O secretário de Estado de Educação e Esporte (SEE), Marco Brandão, e o subsecretário José Alberto Nunes (Xaxá) foram homenageados nesta sexta-feira, 26, durante a formatura geral das comemorações dos 101 anos da Policia Militar do Estado do Acre (PMAC).

Marco Brandão recebeu, junto outras 15 autoridades do Legislativo, do Executivo e do Judiciário, a medalha José Plácido de Castro, herói da Revolução Acreana e que é considerado o patrono da corporação.

medalhas5

José Alberto Nunes, por sua vez, recebeu, junto com outras 42 autoridades e personalidades do nosso Estado, a medalha de guardião da Estrela Altaneira, uma das mais importantes concedidas pela Polícia Militar.

medalhas4

A solenidade em comemoração aos 101 da corporação, que foi fundada oficialmente no dia 25 de maio de 1916, foi conduzida pela vice-governadora Nazaré Araújo, que representou o governador Tião Viana, em agenda oficial no interior do Estado.

Foram homenageados, ainda, 99 policiais militares do Acre e também do Amazonas, que receberam a medalha Barão do Rio Branco. Na oportunidade, o comandante da PM, coronel Júlio César, destacou os investimentos que o governador Tião Viana vem realizando, como reformas de quartéis, realizadas com recursos próprios, e o aumento do efetivo. 

Pluviômetros manuais estão em exposição na Viver Ciência Itinerante

Sem Título-1 cópia

Pluviômetros manuais estão em exposição na Viver Ciência Itinerante

Os alunos da Escola Estadual Belo Porvir, do município de Epitaciolândia, estão participando da primeira edição da Viver Ciência Itinerante, que está sendo realizada em Brasileia. Para a Mostra Científica os estudantes trouxeram uma exposição de pluviômetros manuais criados para medir a quantidade de chuvas na região.

“Nos últimos anos temos sofrido com grandes alagações aqui no Alto Acre. Esses equipamentos nos ajudam a prevê a possibilidade desses fenômenos e assim podemos avisar tanto as autoridades como a comunidade com antecedência”, explica a estudante Abinail Costa.

Pluviômetros são equipamentos que medem o nível de chuva em cada localidade. A partir dos dados coletados é possível prevê eventos climáticos como alagação ou seca extrema. Na Belo Porvir tem um equipamento automático instalado pelo Projeto Comunidades Resilientes, além dos manuais criados com garrafas pets pelos próprios alunos, para ajudar no monitoramento da cidade.

Comunidades Resilientes

O Projeto Comunidades Resilientes, é uma iniciativa do governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEE) com o apoio de diversos parceiros.

As exposições dos pluviômetros assim como as demais atividades da feira ficam em exposição até às 17h desta quinta-feira, 25.

 

Brasileia sai na frente ao inaugurar mostra itinerante da Viver Ciência

Se a escola não vem à ciência, a ciência vai à escola. O trocadilho, feito a partir da célebre frase atribuída ao profeta Maomé sobre o monte Safa, serve aqui para ilustrar um novo conceito na prática de ensino no Acre: a interiorização da ‘Mostra Viver Ciência Itinerante’, do governo do estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Esporte, a SEE.

Viver Brasileia

 

Nesta quarta-feira, 25, e, pela primeira vez fora do circuito Rio Branco-Cruzeiro do Sul, o município de Brasileia, no Vale do Alto Acre, recebeu a edição da Viver Ciência Itinerante. A expectativa é a de queao menos 5 mil alunos, de mais de 20escolas estaduais e municipais,visitem os espaços instalados no Centro Estadual de Educação Permanente, o Cedup, durante todo dia desta quinta-feira, 26.

A iniciativa tem o apoio da administração da prefeita Fernanda Hassem e conta com pelo menos 10 atividades, entre oficinas de matemática, visitação do espaço cósmico e também do planetário da SEE.

A Viver Ciência Itinerante, antes de tudo, é uma agenda importante do governo Tião Viana, segundo o entendimento de que educação não se faz apenas em sala de aula, mas deve ser compartilhada com a comunidade e levada à prática, dando oportunidades para todos.

Explica o secretário de Educação, Marco Antônio Brandão, que “o projeto [Viver Ciência Itinerante] é construído a partir de uma grande feira composta pelo que temos de melhor hoje em nossa pasta, que são instituições como o Centro de Línguas e o Instituto de Matemática, Ciência e Filosofia”

Brandão ressalta que “a ideia é dar sentido aos conteúdos que estão sendo ensinados em sala de aula, só que de um modo prático, saindo da teoria para a experimentação”.

Brasileia Viver Ciencia

Para a prefeita Fernanda Hassem,  a Viver Ciência Itinerante é uma oportunidade valiosa para que os estudantes da rede pública, tanto de escolas estaduais quanto das municipais, inclusive aqueles do município vizinho de Epitaciolândia, possam descobrir experiências novas no âmbito escolar.

“Temos um ganho muito grande para a nossa comunidade escolar, ao receber atividades como essas. Num tempo em que as informações circulam rápido por todos os lugares, é magnífico oferecermos esta oportunidade a nossos alunos de explorar o conhecimento na prática”, considera Fernanda Hassem.

Também participaram da solenidade de abertura, dezenas de estudantes do maior programa de alfabetização da região Amazônica, o Quero Ler, além de alunos das escolas Belo Porvir, Kairala José Kairala e Instituto Odilon Pratagi.

Presentes à cerimônia de abertura estiveram o assessor da Secretaria da Juventude, Weverton Matias, a diretora do Cedup de Brasileia,  Cecília Carvalho, a deputada estadual Leila Galvão, e Lêda Santiago, coordenadora-geral do Núcleo da Educação em Brasileia.

Brasileia

Primeira edição do Viver Ciência Itinerante será realizada em Brasileia

Nos dias 24 e 25 de maio, no Centro de Educação Profissional (CEDUP) de Brasileia, será realizada a primeira edição da Mostra Viver Ciência Itinerante. A atividade é desenvolvida pelo governo do Acre, por meio da Secretaria de Educação e Esporte (SEE), em parceria com a prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SEME).Viver Ciência

A abertura do evento será às 18h30 do dia 24 e contará com a presença do governador Tião Viana, do secretário Marco Brandão (SEE) e da prefeita Fernanda Hassem. No dia 25, diversas atividades estão previstas durante todo o dia das 7 às 17h30.

Nesta edição itinerante, o público poderá ter acesso a exposições científicas, ao planetário (em exposição até o dia 19 de maio no Via Verde Shopping), a Matemática Divertida (ação do Instituto de Matemática Ciência e Filosofia  – IMCF), saúde na ciência, e também o cine ciência.

Além de Brasileia, Tarauacá e Sena Madureira irão receber edições do Viver Ciência Itinerante, uma forma de levar conhecimento, informação e cultura aos moradores de diversas localidades do estado.

Já em Rio Branco, a mostra Viver Ciência está em sua terceira edição e será realizada nos dias 19, 20 e 21 de setembro no campus da Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco e a segunda edição do Vale do Juruá será nos dias 24 e 25 de outubro em Cruzeiro do Sul.

Alunos iniciam tratamento ortodôntico pelo Programa Saúde na Escola

Lançamento do Viver Ciencias. Fotos Mardilson  Gomes 7

Mais 30 alunos de Rio Branco foram contemplados com tratamento ortodônticos pelo Programa Saúde na Escola (PSE). Além desses, outros cem já estão participando do projeto. Os beneficiados devem receber os procedimentos ainda este mês.

No último sábado, 20, as famílias de todos os pacientes se encontraram na Escola Estadual Humberto de Alencar, para conhecer os protocolos de atendimento e assinar o termo de responsabilidade de adesão.

A dona de casa Soraia Monteiro é mãe do estudante Thawan, que vai fazer correção dentária. Na reunião, ela falou da alegria que teve ao saber que o filho teria o acompanhamento médico realizado pelo estado. “Ele vai precisar arrumar os dentes e se não fosse por esse programa teria um gasto financeiro muito grande, porque dentista é caro. Agora, além da economia que vamos fazer, o psicológico dele vai melhorar”, comemora.

Além de representantes do PSE, o evento contou ainda com a presença do secretário estadual de Saúde, Gemil Júnior. “Desde 2013 são ofertados tratamentos como esses para melhorar a vida da nossa população, e hoje trinta novas famílias estão sendo agraciadas com tratamentos gratuitos e de qualidade”, explica.

DSC 0195-1063x600

O Programa

Saúde na Escola é um programa do governo do Estado, por meio das secretarias estaduais de Saúde e Educação, que oferece procedimentos de saúde à comunidade escolar do ensino público.

“Só na área de ortodontia já existem mais de cem estudantes em atendimento, sem contar com esses que vão iniciar o tratamento agora, e quando esses pacientes terminarem, novos serão chamados”, explica o coordenador do programa Rutênio Sá.

Ortodontia

Ortodontia é uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada.

Programa de Climatização das Escolas é lançado no Acre

copia

Com o objetivo de proporcionar mais qualidade e conforto nos ambientes de escolares do Acre, foi lançado na manhã desta segunda-feira, 22, o Programa de Climatização das Escolas. O projeto contempla os 22 municípios do estado e beneficia diretamente 207 escolas estaduais e cerca de 140 mil estudantes, além de professores e do quadro de apoio.

Só de investimentos foram R$ 16 milhões, que serão utilizados para aquisição e instalação dos aparelhos de ar-condicionado e estruturação da rede elétrica dos estabelecimentos de ensino. Durante a solenidade, o secretário de Educação e Esporte, Marco Brandão, disse que em setembro de 2018 não haverá nenhuma escola em Rio Branco sem a climatização adequada para o processo de ensino-aprendizagem.

“Na nossa região, a temperatura é considerada um elemento de dispersão dos alunos nas salas de aula, mas no fim do ano que vem esse argumento de impacto no processo de aprendizagem não existirá mais”, ressalta.

Já o deputado estadual Daniel Zen, que também participou do lançamento, disse que o recurso vai ser bem aplicado, porque o ar-condicionado é uma necessidade básica. “Essa era uma das maiores reivindicações da comunidade escolar. E nós vínhamos perseguindo isso há bastante tempo, desde quando eu era secretário de Educação. Agora a SEE acelerou esse processo e teremos escolas mais dignas e que vão melhorar a qualidade da educação do Acre”, ressalta.

DSC 0534

Os beneficiados

O estudante Keven Araújo, da Escola Estadual 15 de Junho, disse que a climatização é simplesmente essencial. “Se alguém chegar para mim e falar que isso não influencia no ensino, estou disposto a um debate. Porque o calor não é convidativo, mas uma sala climatizada atrai o aluno, sem contar que vai melhorar as condições de trabalho do professor”, diz.

Para o diretor da escola Dom Mattioli, de Sena Madureira, esse é um grande salto da educação acreana. “Esse projeto é importante, porque vai ajudar a melhorar a concentração dos estudantes e ao mesmo a interação professor e aluno, porque temperaturas agradáveis acalmam os ânimos”, explica.

Centro de Estudo de Línguas realiza a formatura de mais 529 alunos

DSC 0214

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), por meio do Centro de Estudo de Línguas (CEL), realiza mais uma formatura de alunos no próximo dia primeiro de junho (quinta-feira), a partir das 18h, no Teatro Plácido de Castro (Teatrão).

Da solenidade de formatura participam o governador Tião Viana e o secretário de Marco Brandão (SEE). Ao todo, serão 583 alunos que estarão recebendo certificados dos níveis básico, intermediário e intermediário avançado em Espanhol, Francês, Inglês e italiano.

Do total de alunos, 402 estão concluindo o nível básico, outros 129 o nível intermediário e mais 52 o nível intermediário avançado. A formatura é relativa as turmas que iniciaram as aulas em 2016.

O CEL oferta aos alunos da rede pública a possibilidade de aprender uma nova língua e se comunicar com o mundo. A professora Claudenice Nunes dos Santos, que é a coordenadora do Centro, explica que trata-se de um esforço do governo em valorizar a educação.

“Esse é um projeto do governo do Acre que valoriza a educação dos alunos da rede pública, preparando-os para ingressar na universidade e também no mercado de trabalho”, faz questão de dizer.

Universidade Aberta do Brasil oferta 200 vagas para curso à distância em licenciatura em Matemática

acreland

A Universidade Aberta do Brasil (UAB), em parceria com os pólos de Educação à Distância no Acre e a Universidade Federal do Acre (Ufac) está disponibilizando 200 vagas para o curso de Licenciatura em Matemática. No Estado, o governo, por meio da Secretaria de Educação e Esporte (SEE) é a mantenedora dos pólos.  

Para participar da seleção, o candidato precisa ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) em 2014, 2015 ou 2106. As inscrições iniciaram no dia 17 de Maio e podem ser feitas até o dia 16 de junho através do site http://sistemas.ufac.br/vestibular_especifico.wsgi.

No momento da inscrição, o candidato deverá especificar o local de oferta do curso em que deseja estudar e, também, a modalidade de concorrência. É que de acordo com a lei 12.711/12, há vagas para estudantes egressos do ensino médio de escolas públicas e também as destinadas para professores da rede pública.

A professora Érica Neves, da coordenação de Ensino Superior da SEE, explica que mesmo com as vagas reservadas para os professores, é necessário que eles tenham feito o ENEM, sendo vedado a qualquer candidato, ainda, a inscrição para mais de um pólo e para mais de uma modalidade de concorrência.

Ao todo serão disponibilizadas 200 vagas, sendo 50 para o pólo de Acrelândia, 50 para Xapuri, 50 para Sena Madureira e 50 para Feijó.  O resultado da seleção poderá ser acesso pelo site www.ufac.br e poderá ser acessado a partir do dia 22 de julho.

Governo do Acre vence desafios e leva Educação de qualidade às escolas de difícil acesso

alegre 3

Chegar à escola Alto Alegre II não é tarefa das mais fáceis. É preciso ir pela rodovia AC 090 (Transcreana) e, no km 72, entrar no ramal Jarinal, onde se anda mais 15 quilômetros. Mesmo tida como de “difícil acesso”, o governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), realiza investimentos e ações pedagógicas permanentes.

Esta semana, o coordenador de Ensino Rural da SEE, professor Ricardo Oliveira, foi até a escola, onde, além de levar material de limpeza e merenda escolar, também esteve com uma equipe onde foram realizadas ações de acompanhamento pedagógico que garantem a qualidade do ensino para os alunos.

Essas mesmas ações também serão realizadas nas escolas Aderaldo Cordeiro e Canto do Sabiá, também no Jarinal. Ao todo, são 677 escolas em todo o Estado, das quais 428 são rurais. “Fora os anexos de muitas escolas, o que aumenta ainda mais esse número”, afirma o coordenador.

alegre 13

Ricardo Oliveira explica que a escola rural, em muitos casos, é a única referência que as comunidades tem do poder público. É o caso do ramal do Jarinal, onde o espaço é utilizado para a realização de reuniões, encontro das associações de produtores e até festividades.

Pelas dificuldades que são enfrentadas, sobretudo em relação ao acesso, a parceria com a comunidade é fundamental. Quando da visita do coordenador, o carro que fazia o transporte do material ficou atolado no meio do caminho. A parceria com a comunidade garantiu a chegada dos produtos até a escola.

Vale tudo para chegar à escola

A escola Alto Alegre II tem, nos dois turnos de ensino, 85 alunos que estudam dentro do Programa Asas da Florestania e também nas turmas multisseriadas. Tem estudantes desde o quinto ano do ensino fundamental até o segundo ano do ensino médio.

alegre 5

De acordo com o professor Valmir Machado, que é coordenador de ensino, só não tem o terceiro ano do ensino médio porque não há alunos. “Mas o ano que vem vai ter, porque esse ano estamos com duas turmas de segundo ano”, explica.

E para chegar à escola, os alunos utilizam todos os recursos. Há quem vá a pé, de quadriciclo, de moto e até mesmo de cavalo. Em muitos dias é comum ver os animais “estacionados” em frente a escola.

Ainda há um anexo da escola na comunidade Oriente, que fica a 20 quilômetros de distância da escola. Como este espaço é municipal, há uma parceria entre o governo e a prefeitura de Rio Branco que mantêm o funcionamento e garante a qualidade da educação na localidade.

Quatro horas de caminhada

alegre 12

Os alunos enfrentam longos percursos para chegar à escola, o que demonstra o interesse de todos por uma educação de qualidade. Mas não estão sozinhos. As professoras que lecionam na Alto Alegre II também realizam um grande esforço para estar e chegar à comunidade.

Conversamos com quatro delas e todas tem histórias semelhantes para contar. Elas andam, desde a entrada do ramal até a escola, 15 quilômetros. Algo em torno de quatro horas de caminhada. Fazem isso uma vez por semana e dividem o alojamento disponibilizado pela gestão escolar.

As professoras Laura Vanessa Marques,  Camila Cristina dos Santos e Solange Oliveira de Lima são as mais novas. Chegaram à comunidade este ano, mas dizem estar “adorando” tanto o ambiente de trabalho quanto a experiência de trabalhar em uma comunidade rural.

Já a professora Sandra Helena dos Santos, é a mais experiente do grupo. Ela veio de Pernambuco, chegou a dar aula na cidade, mas diz que não adaptou. Na Alto Alegre II, a única dificuldade relatada é apenas em relação ao acesso. “Mas aqui temos, além de material, todo o acompanhamento pedagógico”, diz ela, o que é feito pelas equipes da Coordenação Rural da SEE.

Exemplo para a comunidade

Mas um grande exemplo para todos os alunos do ramal Jarinal e para a própria escola é a professora Eliene de Oliveira. Ela mora na comunidade e, todos os dias,  anda 5 km a pé para lecionar e conhece todos os alunos e responsáveis, o que facilita no processo de ensino.

Ela é formada em História e, dentro da área de conhecimento em que atua, ainda ministra aulas de Geografia e Religião. Ela trabalha com dinâmicas, o que contribui para aproximar os alunos, criar um espírito de colaboração e, também, despertar o interesse pela aprendizagem.

alegre 11

Eliene leciona há quatro anos na escola e não pretende sair. “Estudei, me formei e agora voltei para a minha comunidade, porque gosto daqui e quero ajudar outros alunos a formar também e ter um futuro melhor”, afirma.

Estudo e dedicação

A professora Sandra Helena Santos diz que os alunos da zona rural, como regra, são mais dedicados e esforçados. Um bom exemplo disso é o aluno João Lucas Reis Barbosa Souza. Aos 18 anos, ele está no segundo ano do ensino médio.

alegre 10

Ele chama a atenção na escola. Não apenas pela dedicação aos estudos, o que o faz um orgulho para a sua mãe, mas também pela forma de se vestir. As professoras dizem que é habitual ele ir à escola com “camisa de punho”. “Ele sempre anda bem vestido”, dizem elas.

Todos os dias, João Lucas usa uma moto da família e leva a irmã, que estuda no quinto ano do ensino fundamental e a namorada. Estudioso, sua meta é ser médico veterinário. “Também já pensei em ser policial militar. Estou estudando”, diz ele.

Como nasceu na comunidade, o mais importante para ele é estudar e poder voltar. “Gosto daqui, gosto dos professores, todos são bons, por isso quero estudar e poder voltar aqui e ajudar a minha comunidade”, faz questão de dizer o estudante.

História de Luta

alegre 8

No que se refere à luta e à dedicação, João Lucas tem em que se espelhar. Sua mãe, dona Maria Aparecida Reis de Souza, trabalha na escola Alto Alegre II como merendeira. “Tenho dois filhos estudando aqui”, faz questão de dizer.

Natural do Estado do Paraná, ele morou alguns anos em Rondônia antes de vir definitivamente para o Acre. Na comunidade do ramal Jarinal ela mora há 22 anos, dos quais, três já são como merendeira da escola.  

Além de trabalhar com esmero, fazendo uma comida de qualidade para os alunos, explica que por estar perto dos filhos é melhor o acompanhamento deles em sala de aula. “São bons filhos, tenho orgulho de todos, mas quando precisa dou puxão de orelha”, afirma. 

Governo investe R$ 16 milhões em climatização de escolas no Acre

DSC 0482

Com o objetivo de melhorar os espaços de ensino-aprendizagem do Acre, o governador Tião Viana destina R$ 16 milhões este ano para o programa de climatização das escolas estaduais da região. O aporte é originário de recursos próprios do Estado.

O investimento contemplará os 22 municípios, beneficiando diretamente 207 escolas estaduais e cerca de 140 mil estudantes, além de professores e servidores.

O lançamento do programa será realizado no auditório da Secretaria de Educação e Esporte (SEE), na segunda-feira, 22, às 10h30. Autoridades regionais participarão do evento.

“Essa medida mostra a sensibilidade do governador Tião Viana com a melhoria do ensino acreano, ao passo que valoriza ainda mais nossos professores e estudantes, que vão ganhar ambientes mais agradáveis para desenvolver suas atividades com mais conforto”, comemora o secretário adjunto de Educação, José Alberto Nunes, o Xaxá.

BOA UNIAO 39

Execução

 

Os recursos serão utilizados para aquisição e instalação dos aparelhos de ar-condicionado e estruturação da rede elétrica das escolas públicas rurais e urbanas.

A execução do programa se dará em três etapas. A primeira beneficiará 24 instituições de ensino, a segunda abrangerá outras 33, e a terceira contemplará mais 150 estabelecimentos escolares. A previsão para a conclusão de todas as etapas é para setembro de 2018.

Inscrições para o Enem terminam nesta sexta-feira

ENEM2-1-450x450

O prazo para inscrições no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) se encerra na próxima sexta-feira, 19. Em todo o Brasil, mais de três milhões de pessoas deverão participar, de acordo com o último levantamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Os interessados podem acessar o sistema até as 23h59, horário de Brasília. No horário do Acre, 21h59. A taxa custa R$ 82 e precisa ser paga até o dia 24 de maio.

“É importante ficar atento às datas e efetuar a inscrição logo, porque os prazos não serão prorrogados”, explica Hudson Chaves, coordenador do Ensino Médio, da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEE).

Isenção

 

Alunos do terceiro ano do ensino médio de escolas públicas, candidatos inscritos no CadÚnico do Ministério de Desenvolvimento Social e Reforma Agrária  e candidatos de famílias de baixa renda estão isentos da taxa.

Cidadãos com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio por pessoa e que tenham cursado o ensino médio inteiro em escola pública ou em escola privada com bolsa integral também não pagam.

As provas

 

Este ano as provas serão aplicadas em dois domingos consecutivos (5 e 12 de novembro). Antes os testes eram realizados em um único fim de semana.  Nesta edição, a redação será aplicada no primeiro dia de prova.

Equipes gestoras das Escolas de Tempo Integral participam de formação sobre Lideranças Servidoras

eti formaç 3

Garantir a qualidade do ensino nas escolas de tempo integral (ETIs) tem sido um desafio para o governo do Acre. Nesse novo modelo de Educação, formar lideranças servidoras é fundamental para garantir que as rotinas pedagógicas possam ser implementadas com sucesso.

Por isso, a Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), por meio da Coordenação de Ensino Integral, realiza até a sexta-feira, 19, mais uma formação para gestores e coordenadores de ensino, coordenadores pedagógicos e professores, no auditório da escola Humberto Soares

Trata-se de uma formação que está dando continuidade à preparação das equipes para trabalhar com o ensino integral, que possui objetivos e demandas diferentes da escola convencional. A partir desse entendimento, a questão passa a ser a transformação de todos os agentes em protagonistas do ensino, tanto professores quanto pais e responsáveis pelos alunos.

A coordenadora de Ensino Integral da SEE, professora Emilly Areal, explica que é preciso aprofundar o sentido de liderança servidora na medida em que a gestão dessas escolas é mais complexa e requer mais conhecimento pedagógico por parte das equipes.

eti formaç 4

E os gestores estão aprovando a iniciativa da SEE. O professor Aldino Schattat, que é diretor da Humberto Soares, faz questão de dizer que a formação está preparando as equipes para trabalhar com uma escola diferente.

“Nós temos uma demanda diferente, com objetivos bem traçados e diferentes do que a gente estava acostumado a ver e, por isso, estamos trabalhando conceitos novos, uma nova maneira de ver a escola. Essa formação está baseada nessa liderança servidora no sentido de ajudar, de compartilhar e de fazer a gestão porque todos são protagonistas nesse novo processo de aprendizagem”, disse.

Primeira Edição da Mostra Viver Ciência Itinerante acontece no município de Brasileia

DSC 1230

Nos dias 24 e 25 de maio, no Centro de Educação Profissional (CEDUP) de Brasileia, acontece a primeira edição da Mostra Viver Ciência Itinerante. A atividade érealizada pelo governo do Acre, por meio da Secretaria de Educação e Esporte (SEE), em parceria com a prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SEME).

A abertura do evento acontece às 18h30 do dia 24 e contará com a presença do governador Tião Viana, do secretário Marco Brandão (SEE) e da prefeita Fernanda Hassem. No dia 25, diversas atividades estão previstas para acontecer durante todo o dia (das 7h às 17h30).

Nesta edição itinerante, o público poderá ter acesso a exposições científicas, ao planetário (em exposição até o dia 19 de maio no Via Verde Shopping), a Matemática Divertida (ação do Instituto de Matemática Ciência e Filosofia  - IMCF), saúde na ciência,  e também o cine ciência.

Além de Brasileia, os municípios de Tarauacá e Sena Madureira irão receber (ainda sem data definida), edições do Viver Ciência itinerante, uma forma de levar conhecimento, informação e cultura aos moradores de diversas localidades do nosso Estado.

O Viver Ciência é uma mostra cuja terceira edição acontece nos dias 19, 20 e 21 de setembro no campus da Ufac, em Rio Branco e a segunda edição do Vale do Juruá nos dias 24 e 25 de outubro na cidade de Cruzeiro do Sul.

Edição 2017 do Festival Estudantil da Canção acontecerá nos 22 municípios acreanos

fec 1

A segunda edição do Festival Estudantil da Canção (FEC), realizado pelo governo do Acre, por meio da Secretaria de Educação e Esporte (SEE) e Fundação Elias Mansour (FEM), em parceria com a prefeitura de Rio Branco, por meio da Secretaria de Juventude (Sejuv), será realizado nos vinte e dois municípios acreanos.

Nesta segunda-feira, 15, foi realizado, na quadra do Colégio Cerb, no centro da cidade, o lançamento oficial do festival, que contou com a presença do secretário Marco Brandão (SEE), Karla Martins (FEM), Temilys Silva (Sejuv), do assessor especial para a juventude do governo, Weverton Matias e do deputado estadual Daniel Zen.

A expectativa é que na edição deste ano, mais de trezentos alunos se inscrevam para participar do festival, tanto com trabalhos autorais quanto com interpretação musical. No ano passado, mais de cento e vinte trabalhos foram inscritos.

fec 3

Uma das novidades este ano é a premiação. Além de troféus, o primeiro colocado geral levará R$ 4 mil, o segundo colocado R$ 3 mil e o terceiro colocado R$ 2 mil, um incentivo a mais para que os alunos das redes pública e particular, além de estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) possam mostrar seus talentos.

As inscrições iniciaram nesta segunda-feira e prosseguem até o próximo dia 2 de junho (sexta-feira) e podem ser realizadas nas próprias escolas de ensino médio que participarão do festival. Maiores informações podem ser obtidas pelo telefone 3211-2223.

Coordenadora de Letras da UnB visita polos de educação no Acre

DSC 0180

A coordenadora do curso de Letras da Universidade de Brasília (UnB), Francisca Cordélia da Silva, esteve no Acre para visitar os polos da Universidade Aberta do Brasil (UAB) que estão ofertando graduação no estado. A visita começou pelo por Acrelândia, distante 110 quilômetros de Rio Branco.

No polo, Cordélia conheceu os espaços físicos da instituição e ainda conversou com os 26 acadêmicos do curso. “Vim ao Acre para conhecer os órgãos, saber das demandas e das necessidades de cada um e tentar atender os nossos alunos de forma mais pessoal e personalizada possível, pensando nas necessidades de cada município e de cada contexto”, explica.

A estudante Jéssica Tayline Cardoso comemorou a presença da representante da UnB na cidade, porque a turma está em fase final de conclusão do curso. “Estávamos ansiosos pela presença dela porque vamos nos formar já no primeiro semestre de 2018 e havia algumas pendências a serem resolvidas. Conversando pessoalmente é mais fácil”, diz.

DSC 0150

 A coordenadora do Centro Estadual de Educação Permanente (Cedup) do município, Sônia Domingas Costa, ressaltou que a visita da representante da UnB humaniza as relações entre universidade e aluno. “O curso é a distância, e todos os contatos são feitos via e-mail ou telefone. A visita dela aproxima e estreita os laços com a instituição”, destaca.

A visita foi acompanhada pela coordenadora de Educação Superior da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), Érica Neves. “A SEE é mantenedora dos polos. Ela organiza a estrutura e o funcionamento com recursos e pessoal, mas precisamos que nossos parceiros conheçam as especificidades da nossa região, para que possamos alinhar as demandas de acordo com as necessidades locais”, disse.

Sena Madureira

 

Depois de Acrelândia, a coordenadora seguiu para Sena Madureira e elogiou os investimentos do Acre: “Percebi que existe um bom investimento em infraestrutura, porque já visitei outras regiões e não há a qualidade que existe aqui. Outra impressão muito positiva é a demanda social que está sendo atendida. Só a educação cria possibilidades de progresso, de profissionalização e de inserção das pessoas no mercado de trabalho”.

As visitas da UnB estão sendo realizadas em todos os estados em que a universidade atua no país.

 

 

Festival Estudantil da Canção começa nesta segunda

DSC 0531

Começa nesta segunda-feira, 15, o Festival Estudantil da Canção (FEC). O lançamento da edição deste ano será realizada no quadra do Colégio Estadual Barão do Rio Branco (CEBRB), às 17 horas.

O FEC é a maior festa da juventude estudantil do Acre. É por meio dele que novos talentos são descobertos no campos das artes, música e danças. Participam do festival alunos das redes pública e privada.

Uma das novidades deste ano é a participação dos alunos de todo o estado. Nos  municípios haverá seleção, e os selecionados participarão da grande final em Rio Branco, no dia 26 de agosto. As músicas apresentadas podem ser autorais ou não.

Prêmios 

Além de troféus, os participantes concorrerão a premiações, nas modalidades autoral e intérprete, sendo elas de R$ 4 mil para o primeiro, R$ 3 mil para o segundo e de R$ 2 mil para o terceiro colocado.

A premiação é tida como um incentivo para os candidatos, pois o principal intuito do projeto é a interação entre os alunos de diversas escolas e a produção musical e outras linguagens artísticas nos contextos escolares.

Organização

 

O concurso é promovido pelo governo do Estado e a prefeitura de Rio Branco, por meio da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour (FEM), da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) e da Secretaria Adjunta de Juventude (Assejuv).

Secretaria de Educação realiza visitas às escolas de ensino médio para divulgar calendário do Programa Parlamento Jovem Brasileiro

pjb vist

A Secretaria de Educação e Esporte (SEE), por meio da coordenação de ensino, em parceria com o gabinete do deputado federal Leo de Brito, realiza visita às escolas de ensino médio para divulgar a 14ª edição do Programa Parlamento Jovem Brasileiro (PJB).

De acordo com a professora Vera Lúcia Pires, técnica pedagógica da SEE, no último sábado, 13, a visita foi realizada no Colégio Barão de Rio Branco (Cerb). Na oportunidade, foi informado aos alunos sobre a importância de um projeto parlamentar e qual a função de um deputado federal no Congresso Nacional.

“Na próxima semana vamos programar visitas na Escola Jovem Boa União e nas demais escolas de ensino médio, divulgando o PJB e incentivando os estudantes para apresentar projetos e participar do Programa”, explica a professora.

As inscrições para o PJB, edição 2017, acontecem até o dia 9 de junho e para participar o estudante precisa ter entre 16 e 22 anos. Maiores informações podem ser obtidas diretamente no site da Câmara (www2.camara.leg.br/responsabilidade-social/parlamentojovem), pelo telefone 0800 619 610 ou pela fan Page do PJB.

O evento acontece entre os dias 25 e 29 de setembro. Ao todo, serão selecionados 78 projetos, cujas propostas devem oferecer mudanças para melhorar a realidade do nosso país e a composição do parlamento será proporcional a cada Estado, cabendo ao Acre um representante.

Um dos objetivos do PJB é fomentar, nas escolas, o debate de temas como cidadania, política, participação popular e outros temas relevantes da sociedade, preparando o jovem para o exercício pleno de seus direitos e deveres, além da construção do bem comum. 

Programa Quero Ler ajuda pessoas a enfrentar dificuldades e a superar desafios

DSC 0660

O Quero Ler é o maior programa de inclusão social de nosso Estado. Lançado no ano passado pelo governador Tião Viana e pelo secretário de Educação e Esporte (SEE), Marco Brandão, vai alfabetizar, até o final de 2018, 60 mil jovens e adultos que ainda não tiveram a oportunidade de ter acesso às letras.

E as histórias de sucesso e superação se multiplicam. Uma delas é a da dona de casa Francisca Gomes de Melo. Aos 61 anos, natural do município de Porto Acre e moradora do bairro Jorge Lavocat, em Rio Branco, ela nunca tinha sentado em um banco de escola.

Graças ao genro, que a matriculou no Programa, ela agora começa a se soltar das amarras da dependência e também dos problemas e empecilhos que a acompanhavam pelo fato de não saber nem ler e nem escrever.

Ela conta que, certa vez, no terminal urbano, passaram a ela o nome errado de um coletivo e ela rodou a cidade voltando para o próprio terminal. “Era um ônibus circular. É muito ruim depender dos outros porque eu andei, andei e vim parar dentro do terminal de novo porque me ensinaram o ônibus errado e eu não sabia das coisas”, relata.

Ela já conhece as primeiras letras e além de não pegar mais o ônibus errado, também não precisa mais de ajuda de filhos, netos e do próprio genro, para fazer ligações telefônicas. “Hoje, se eu quiser, ligo para qualquer município, não dependo mais de ninguém”, afirma.

Depois que concluir o processo de alfabetização no Programa Quero Ler, dona Francisca diz que pretende dar continuidade aos estudos, o que já será garantido pelo governo por meio da SEE com a matrícula automática desses alunos na Educação de Jovens e Adultos (EJA).

“Eu nunca tive a oportunidade de estudar, mas agora eu estou tendo. Agradeço primeiramente a Deus e para mim é uma honra estar aqui, pois já comecei a escrever o meu nome, coisa que eu não sabia”, conta dona Francisca.  

Programa Jovem Aprendiz vai formar 100 novos estudantes até outubro

DSC 0727

Pelo menos 100 estudantes, de dez escolas da rede pública estadual de ensino, já começaram as aulas do programa Jovem Aprendiz no Trânsito, atividade extracurricular que vai oferecer curso teórico para a formação de motoristas. A ideia é formar futuros condutores mais conscientes de que devem respeitar as leis de trânsito.

As aulas terão carga horária de 90 horas, com previsão para término no dia 21 de outubro, sempre aos sábados, no auditório do Colégio Barão do Rio Branco, centro da cidade.

Segundo explica o instrutor Erbeson Maia, o curso teórico para os jovens estudantes terá uma dinâmica diferente da que é praticada nas auto-escolas.

“Aqui, eles não estão em processo de habilitação, mas farão o curso teórico com o objetivo de formar futuros condutores mais seguros e conscientes sobre a legislação”, explica Maia.

No entanto, ao completar 18 anos, esses jovens poderão solicitar o processo de habilitação sem a necessidade de serem submetidos ao curso teórico. A atividade é prevista em resolução do Conselho Nacional de Trânsito, o Contran.

Os estudantes que participam do programa Jovem Aprendiz em 2017 foram selecionados das escolas Barão do Rio Branco, Henrique Lima, Heloísa Mourão Marques, Clícia Gadelha, Pedro Martinelo, João Aguiar, Leôncio De Carvalho, Raimunda Pará e Lourival Pinho.

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte, a SEE, é a responsável pelo fornecimento do lanche no intervalo das aulas, enquanto a Superintendência de Transportes e Trânsito de Rio Branco, a RBTrans, fornece cartões de transportes coletivos a R$ 2, ida e volta para casa.

Educação e AJAL trabalham para criar clubes de literatura no Acre

DSC 0654

O secretário de Estado de Educação e Esporte, Marco Brandão, reuniu-se na sexta-feira, 5, com os membros da Academia Juvenil Acreana de Letras (AJAL), para propor a criação de clubes de literatura no Acre.

“A ideia é fomentar e disseminar a literatura em diferentes espaços da cidade, começando pelas escolas e ocupando outros espaços, como praças e centros culturais”, explica Marco Brandão.

O presidente da academia, Jackson Viana, disse que a iniciativa foi recebida com muita satisfação e que isso representa um grande passo para a formação de leitores acreanos.

“É uma proposta magnífica, e nesse encontro avançamos bastante com relação aos ajustes para a criação. Agora vamos nos organizar para lançar e começar a executar esse excelente projeto”, disse.

Os clubes

 

A princípio, os clubes atuarão incentivando a criação de espaços dedicados a leituras nas escolas onde não tem. A intenção é começar pelo zoneamento da Baixada de Rio Branco, para posteriormente chegar a outros locais, formando clubes de leitores e escritores regionais.

“Será uma grande rede de incentivo a leitura de gêneros diversos. Começaremos implantando na Escola Serafim Salgado, como projeto piloto, e depois expandiremos. E por trás, dando todo o apoio, suporte e incentivo, estarão a SEE e a AJAL”, diz Viana.

 

SEE explica as principais mudanças do Enem

ENEM2-1-450x450

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 iniciaram nesta segunda-feira, 8, e encerram já no dia 19 deste mês.  Para fazer a inscrição é necessário acessar o site do Instituto Nacional de Pesquisas Institucionais (Inep) http://enem.inep.gov.br/participante/#!/inicial

A edição desse ano conta com várias mudanças e o secretario de Educação do Acre, Marco Brandão, explica quais foram as principais alterações feitas pelo Ministério da Educação (MEC).

 A principal delas é a mudança dos dias de provas. Este ano, serão aplicadas em dois domingos consecutivos (5 e 12 de novembro) – antes os testes eram realizados em um único fim de semana (sábado e domingo).

Outra mudança significativa do exame é relativa à redação, que passa a ser no primeiro dia de prova, junto com as áreas de Linguagem, Código e suas Tecnologias, e Ciências Humanas e suas Tecnologias.

“As novas regras buscam atender as opiniões coletadas durante a consulta pública sobre o exame, realizada pelo MEC no início do ano. Além disso, as novas medidas visam aumentar a segurança das provas”, explica Brandão.

Certificado de ensino médio

Além da modificação da ordem de aplicação das áreas do conhecimento, outra que chamou atenção é referente ao certificado de conclusão de ensino médio. A partir deste ano não existe mais a possibilidade de obter a certificação por meio do Enem.

Agora o estudante interessado em conseguir a certidão terá que fazer o Exame Nacional de Certificação de Jovens e Adultos (Encceja), que é o teste adequado para esse fim.

Atendimento Especial

Para os candidatos com necessidades especiais, também houve reforma. Nesta edição, as pessoas que precisam de tempo adicional para fazer as provas devem solicitar as horas extras no ato da inscrição, e não mais na hora da prova, como era anteriormente.

Além disso, os solicitantes devem anexar documento que comprove os motivos do pedido do benefício.

Taxa de Inscrição

Mais uma medida adotada é quanto ao valor da inscrição, que passou de R$ 68 para R$ 82 (reajuste de 20,58%).

Os pedidos de isenção também têm novas regras – agora quem solicitar terá que informar seu Número de Identificação Social (NIS) no ato da inscrição. A partir disso, o sistema fará a busca automática dos dados do requerente a partir da declaração do NIS.

Podem solicitar inscrição gratuita quem concluiu o ensino médio em escola pública e candidatos cadastrados no Cadastro Único (CadUnico), do Ministério de Desenvolvimento Social e Reforma Agrária, que identifica integrantes de famílias de baixa renda.

Também podem ser isentos cidadãos com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio por pessoa e que tenham cursado o ensino médio inteiro em escola pública ou em escola privada com bolsa integral.

 

Planetário e exposição Paisagem Cósmicas continuam abertos a visitação

DSC 0633

Entusiastas da astronomia no Acre estão tendo oportunidades de ter experiências inovadoras com o universo. Isso porque, desde o dia primeiro de maio estão instalados no Via Verde Shopping um Planetário e uma exposição científica intitulada “Paisagens Cósmicas”. Por lá já passaram mais de 1.500 pessoas, só na primeira semana. A escola Clínio Brandão, por exemplo, levou duas turmas e juntamente com o secretário Estadual de Educação e Esporte, Marco Brandão, visitaram os dois espaços.

“É um momento diversificado pedagogicamente e enriquece a educação acreana, porque os alunos aprendem se divertindo”, explica a diretora da escola, Ismênia Marques.

Jeveson Pacífico, do 6º ano, relata sua experiência: “Gostei bastante porque as explicações não foram simples, eles mostraram coisas mais avançadas. Pensei que eles colocariam coisas básicas para as turmas do 6º ano como: o que é sistema solar? O que é o sol e as estrelas? Mas não, eles explicaram coisas bem mais interessantes sobre astronomia”, conta.

Tanto a exposição quanto o planetário são abertos ao público e de forma gratuita. Ficam abertos a visitação até o dia 19 de maio, no hall do centro de entretenimento de Rio Branco. A iniciativa é fruto da parceria do Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEE), com o Via Verde Shopping.

18216650 1344770875577003 3903147213887206106 o

Exposição

 

A exposição Paisagens Cósmicas é composta por painéis fotográficos, que levam o visitante a uma viagem pela história da Terra, do Big Bang aos dias atuais. Reúne conteúdos científicos e a beleza dos fenômenos naturais, em referência às primeiras observações telescópicas do céu feitas por Galileu Galilei há quatro séculos.

“No planetário o visitante pode assistir projeções sobre o universo. Durante as seções, buscamos ainda levar as pessoas a refletirem acerca da nossa existência e sobre a existência de mundos desconhecidos, além de apresentar conceitos cinéticos já construídos, na área da astronomia”, explica Aires Pergentino, coordenador de educação, ciência, tecnologia e inovação da SEE.

"Quero Ler mudou a minha vida", diz professor durante aula inaugural da segunda fase do Programa, no auditório da SEE

DSC 0703

O depoimento do professor Aparecido Cerdeira durante a aula inaugural da segunda fase do Programa Quero Ler, realizada no auditório da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), chamou a atenção de todos os presentes.

Ele, que alfabetiza doze pessoas no Residencial Cabreúva, região da Baixada da Sobral, Em Rio Branco, foi enfático ao afirmar que o Programa Quero Ler “mudou a minha vida, foi um divisor de águas”.

Ele conta que quando entrou como alfabetizador não tinha nenhuma expectativa, mas como o tempo, o Quero Ler não melhorou apenas a vida das pessoas que buscam o conhecimento das letras, mas a sua própria. “Através do Programa que mudei a mente”, disse.

Aparecido estuda na Universidade Federal do Acre (Ufac) e faz o curso de Letras/Espanhol. “A partir de agora, desta experiência de poder lecionar no Quero Ler, quero ser professor, vou fazer uma nova formação pedagógica e vou atuar nesta área”, fez questão de dizer.

A segunda fase do Programa vai alfabetizar 15 mil jovens e adultos em todo o Estado do Acre, trabalho que será realizado por 120 professores e 61 coordenadores. Mais duas etapas estão previstas, uma que irá se iniciar em setembro e a outra no início do ano que vem. 

Aula Inaugural da 2ª etapa do Quero Ler será segunda-feira

18274845 1344928955561195 7697535464542322793 n

Rio Branco celebra o início de mais uma etapa do maior programa de alfabetização do Acre, o Quero Ler. Uma ousada estratégia do governo para erradicar o analfabetismo do estado até 2018. A aula inaugural da segunda etapa será realizada na segunda-feira, 8. 

A solenidade será realizada no auditório da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEE), às 9 horas. Participarão do evento o governador, Tião Viana, o chefe da pasta da educação, Marco Brandão e autoridades locais.

Nesta etapa estão sendo beneficiadas 100 turmas e mais de 1.500 alunos só em Rio Branco. A meta é alfabetizar até o final do próximo ano, 60 mil acreanos, incluindo a capital e interior.

Quero Ler                                                                                            

O Quero ler é um programa de alfabetização do governador do Acre, criado em 2015, com o objetivo de levar o ensino para pessoas com idade igual ou superior a quinze anos, que não tiveram acesso à educação básica na faixa etária adequada.

Edital para contratação de educadores e coordenadores do Quero Ler

quero ler

Estão abertas as inscrições para bolsistas interessados em atuar no Programa Quero Ler. O edital busca contratar 1.169 educadores e 64  coordenadores de turma. As vagas são destinadas a 18 municípios acreanos.

Mais informações e o edital completo pode ser acessado no link: https://drive.google.com/file/d/0B1usYC8AHchEeDRfaTZfbURrV1U/view?usp=sharing

Abertas inscrições para bolsas de educadores e coordenadores do Quero Ler

quero ler

Estão abertas as inscrições para bolsistas interessados em atuar no Programa Quero Ler. O edital busca contratar 1.169 educadores e 64  coordenadores de turma. As vagas são destinados para 18 municípios acreanos.

"Apenas Rio Branco, Brasileia, Epitaciolância e Xapuri não fazem parte do processo, porque já houve seleção recente nessas localidades", explica Augusta Rosas, coordenadora geral do programa no Acre.

As inscrições iniciaram no dia 2 e vão até 15 de maio.  Para se matricular é necessário  entregar os documentos comprobatórios, nos núcleos da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEE), dos municípios.

Os atendimentos estão sendo feitos em horários comercias. Pela manhã das 7h30 às 12h, e no período da tarde, das 14h às 17h30.

Requisitos            

Para os dois cargos o edital exige requisitos básicos.Para a bolsa alfabetizador, o candidato precisa ser brasileiro,  estar em dias com as obrigações militares, comprovar disponibilidade de horas semanais para atuar no programa,  ter no mínimo dezoito anos de idade e possuir diploma devidamente registrado de conclusão de curso superior, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação(MEC).

Candidatos que não possuem nível superior, mas estão  cursando a partir do 3º período de cursos de licenciatura plena ou bacharelado, ou possuem diploma de nível médio, na modalidade magistério, também podem concorrer.

Coordenadores

Para coordenadores de turmas as exigências são as mesmas. A única exceção é para os graduandos, pois apenas acadêmicos de licenciatura, podem se increver.

O Programa

O Quero Ler é um projeto criado pelo governador, Tiao Viana, que tem como objetivo levar a escolarização para alunos com idade igual ou superior a quinze anos, que não tiveram acesso à educação básica na faixa etária adequada.

3ª fase

A contratação de educadores é para dar início a terceira fase do programa, que pretende atingir quase 15 mil pessoas, e chegar a todas as regiões acreanas. Só de  investimento foram R$ 6 milhões.

Mais informações e o edital completo pode ser acessado no link: https://drive.google.com/file/d/0B1usYC8AHchEeDRfaTZfbURrV1U/view?usp=sharing

Escolas de tempo integral tornam a educação ainda mais inclusiva

Desde abril, o governo do Acre, por meio da Secretaria de Educação e Esporte (SEE), implantou as primeiras escolas em tempo integral, por ora todas na capital, Rio Branco, um novo modelo de educação que já foi implantado em outros Estados e que já começa a dar os primeiros frutos.

Dentro desse modelo, além da formação técnica, pessoal e profissional, há espaço, sobretudo, para a inclusão social. Alunos com algum tipo de necessidade especial encontraram na escola de tempo integral não apenas uma nova família, mas uma nova maneira de ver o mundo.

Após o período de adaptação, esses alunos já estão integrados dentro dessa nova metodologia de ensino. E as escolas, seguindo a política do governo do Acre em realizar da melhor forma a educação inclusiva, fazem questão de trazer para dentro dos espaços esses alunos.

Por isso, mesmo, elas recebem alunos com as mais variadas necessidades especiais. Desde jovens com a baixa visão, passando pela síndrome de down, surdez, até deficiência mental, física e intelectual. Mas nenhuma delas é capaz de superar o amor que a escola tem por eles.

O mais importante é que, nesse processo, a família se faz muito presente. Isso porque, desde a implantação das escolas em tempo integral, elas foram chamadas a participar ativamente da educação dos seus filhos, fazendo-os protagonistas de sua própria História.

“Minha segunda casa”

pedrosa

Um exemplo de superação pode ser encontrado na Escola Sebastião Pedrosa, que fica localizada nas proximidades da Arena da Floresta, no Segundo Distrito. É o aluno Joas Rodrigues, que tem paralisia cerebral e está no segundo ano.

O gestor da escola, professor Mauro Sérgio da Costa Moura, diz que Joas ajuda muito na horta. “O pai dele até conseguiu um caminhão para transportar estrume e trazer aqui para a nossa escola ele vem até aos sábados, se precisar”, afirmou o diretor. “A nossa política é fazer a inclusão de todos os alunos”, completou.

Joas gosta de todas as disciplinas, mas diz que se identifica um pouco mais com Português e Geografia. “A escola é a minha segunda casa e ela está me ajudando a crescer cada vez mais”, faz questão de dizer.

Ao todo, a Sebastião Pedrosa tem 17 alunos com algum tipo de necessidade especial. Além do Joas tem também o Diego Fernandes Pereira. Ele tem microcefalia e está no primeiro ano. Embora tenha algumas limitações, é acompanhado por um orientador, o Renato Morais, e consegue escrever o próprio nome com uma letra bem legível.

Importância da família

Para a professora Roselândia Matos, professora do Atendimento Educacional Especializado (AEE), da escola José Ribamar Batista (EJORB), A presença da família na escola, principalmente para os alunos com necessidades especiais, tem sido fundamental para o desenvolvimento desses jovens na escola.

DSC 0562

Na EJORB também há alunos com as mais variadas necessidades especiais, tais como deficiência intelectual, autista, surdez, baixa visão e até com o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

As salas de AEE são fundamentais, mas ela considera que os alunos estejam interagindo com os demais dentro de sala de aula. “Isso é muito importante para o processo de inclusão dentro da nossa escola, fazer com que eles se sintam parte da turma”, explica.

E essa inclusão já acontece, sobretudo, com o carinho e a receptividade que os demais colegas tem com os alunos portadores de necessidades especiais. “Aqui em nossa escola, tanto os professores quanto os demais alunos dão total apoio para realizar a inclusão”, disse.

Entre os alunos com necessidades especiais que estudam na EJORB está o Lairson Gomes de Alencar. Ele está no primeiro ano e já fez amizade com todos da sua sala de aula. Segundo a professora Roselândia, além de já está adaptado à escola de tempo integral, ele consegue acompanhar a aprendizagem com os demais estudantes.

Inclusão é prioridade

DSC 0570

Em todas as escolas de tempo integral, a educação inclusiva é prioridade para a gestão, professores e até para os demais alunos. É o caso da Armando Nogueira, onde a professora Luziane Nepumoceno explica o trabalho que é feito com alunos portadores de necessidades especiais.

Na Armando Nogueira são em torno de 15 alunos que apresentam algum tipo de necessidade. Além dos profissionais especializados também são realizados encontros e reuniões com os professores para alinhar o trabalho.

“Quando necessário nós fazemos alguma adaptações, como é o caso dos alunos que apresentam alguma deficiência visual, com as provas sendo elaboradas em braile, além do acompanhamento para os alunos que não conseguem se locomover sozinhos”, explica.

Entre os estudantes especiais da Armando Nogueira está a Isis Patrícia Nogueira dos Santos, que é acompanhada pela professora Artenizia Santos. Ela tem deficiência intelectual e baixa visão, mas isso não a impede de socializar com os demais e nem de socializar experiências.

“Aqui na Armando Nogueira a nossa política é de integração e de respeito aos alunos com necessidades especiais. Valorizamos a educação inclusiva e procuramos resgatar, o máximo que podemos a auto-estima desses estudantes”, afirma a professora Luziane.

Vivência e aprendizagem

No Instituto de Educação Lourenço Filho (IELF), há boas experiências com os alunos com necessidades especiais. A responsável pela sala de Atendimento Educacional Especializado é a professora Antônia Conceição Marques Pereira.

Ela explica que na escola há em torno de 10 alunos com alguma necessidade especial, entre as quais surdez, deficiência mental, paralisia cerebral, deficiência intelectual e síndrome de down.

A escola em tempo integral mudou, segundo a professora, na vida desses estudantes. “Eles amam estudar em tempo integral. Eles só não gostam do sábado e do domingo porque são dias em que não vem para a escola, mas eu, particularmente, acredito que todos os especiais deveriam estar nesse modelo de escola”, afirmou.

DSC 0637

Uma das alunas que mais chama a atenção da professora Antônia Pereira é a estudante Jéssica Menezes de Alcântara. Ela tem síndrome de down e está no primeiro ano. Muito extrovertida, faz questão de socializar as atividades e aprendizagens com os colegas de sala.

Muito vaidosa, antes de pousar para a foto da nossa reportagem, ela fez questão de se maquiar para ficar ainda mais bonita. Foto, relata a professora do AEE, é o que Jéssica mais gosta de tirar.

 “Um outro ponto importante para a inclusão aqui em nossa escola é exatamente a receptividade que os outros alunos tem com os portadores de necessidades especiais. Tratam muito bem a ajudam sempre que necessário”, disse.

“Com a escola jovem posso acreditar no meu potencial”

Na Escola Jovem Boa União, entre os portadores de necessidades especiais está Jéssica Ferraz dos Santos, estudante do primeiro. Ela é surda e diariamente é acompanhada pela intérprete da língua de sinais (libras), Valderlene Figueiredo.

Apesar dessa limitação, Jéssica já descobriu que a nova metodologia de ensino implementada pela SEE permite que ela consiga acreditar em si e projetar um futuro melhor. “A escola me faz acreditar no meu potencial para alcançar os meus sonhos”, disse.

No caso de Jéssica, que quer ser instrutora de língua de sinais e trabalhar com crianças, a nova modalidade de ensino integral faz com que ela passe a acreditar em si mesma e na sua capacidade de aprendizagem.  “Estamos aprendendo que temos potencial e podemos fazer nossa própria história”, completou.

Preocupação com o próximo

A união e interação das escolas em tempo integral chamou a atenção de Cleber Lima, ex-aluno desse modelo de escola no Estado de Pernambuco e que veio ao Acre para ajudar na implementação dessa nova modalidade de ensino, em parceria com o Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE).

Mais recentemente, ele voltou ao Estado para participar da semana de protagonismo, que foi realizado pela SEE. Chamou sua atenção a preocupação que não apenas a gestão, mas os próprios alunos tem em ajudar os alunos que são portadores de necessidades especiais.

Lembrou do caso da aluna Jéssica Ferraz, onde os colegas resolveram criar um grupo de libras para que ela possa se comunicar com todos os alunos e não ficar limitada somente à intérprete.

“E todos nós sabemos que essa comunicação com os surdos é um pouco falha, não apenas dentro da escola, mas é uma questão social, já que a gente não se preocupa em aprender a linguagem de sinais, então isso é muito positivo”, afirma.

“Os alunos estão se interessando, estão procurando a gestão escolar, estão incentivando, porque sabem que a Jéssica necessita da intérprete, ela é fundamental, mas é importante também que ela esteja sozinha na vida escolar, pois ela precisa socializar com as pessoas”, finalizou Cleber.

Abertas as inscrições para a 14ª Edição do Programa Parlamento Jovem Brasileiro

pjb 2017

Estão abertas as inscrições para a 14ª Edição do Programa Parlamento Jovem Brasileiro (PJB). Para se inscrever, o estudante deve enviar a proposta de projeto, até o dia 9 de junho, juntamente com a ficha de inscrição, para a Secretaria de Estado de Educação (SEE).

Para participar do PJB, o aluno deve ter entre 16 e 22 anos e estar cursando o ensino médio ou técnico de escolas públicas ou particulares. O programa simula uma jornada parlamentar na qual vivencia o trabalho de um deputado federal.

O evento acontece entre os dias 25 e 29 de setembro. Ao todo, serão selecionados 78 projetos, cujas propostas devem oferecer mudanças para melhorar a realidade do nosso país, e a composição do parlamento será proporcional a cada Estado.

Um dos objetivos do PJB é fomentar, nas escolas, o debate de temas como cidadania, política, participação popular e outros temas relevantes da sociedade, preparando o jovem para o exercício pleno de seus direitos e deveres, além da construção do bem comum.

O PJB ajuda o estudante a desenvolver habilidades e domínios da linguagem, compreensão de fenômenos, enfrentamento de situações-problema, construção de argumentação de elaboração de projetos, além de desenvolver competências importantes para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

Maiores informações sobre as inscrições no PJB podem ser feitas no site da Câmara dos Deputados (www2.camara.leg.br/responsabilidade-social/parlamentojovem), pelo telefone 0800 619 619 ou pela fan Page do Programa (Parlamento Jovem Brasileiro). 

 

Governo do Acre entrega veículos e equipamentos para o ensino rural

card 1

O governador Tião Viana e o secretário de Educação e Esporte (SEE), Marco Brandão,  entregam às comunidades rurais e ribeirinhas, no próximo dia 04 de maio (quinta-feira), veículos e equipamentos que irão garantir a qualidade de ensino em diversos municípios do nosso Estado.

A solenidade acontece em frente ao Palácio Rio Branco a partir das 8h30 e ao todo, serão entregues vinte e seis veículos, sendo dez pick-ups com tração nas quatro rodas, treze motos, três quadriciclos, além de dezessete barcos.  

Os veículos e equipamentos foram adquiridos através do Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado do Acre (PROACRE), com investimentos na ordem de R$ 1,8 milhão, recursos do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD).

As pick-ups são de cabines duplas, com motores a diesel, transmissão manual, capacidade para transportar até mil quilos de carga, possuem direção hidráulica, motor de 171 hp, cinco marchas dianteiras, injeção eletrônica, carroceria em aço, air bags duplos, além de diversos outros acessórios.

Já as motocicletas são estilo cross, para andar nos ramais, possuem motor de 124 cilindradas a gasolina, de quatro tempos, freio dianteiro a disco, partida elétrica e câmbio com cinco velocidades.  Os quadriciclos possuem tração 4X4 e motor de 420 cilindradas.

Os barcos são de alumínio e possuem seis metros de comprimento, tem capacidade de carga de até 900 quilos e tem um motor de 40 HP, compartimento no banco central para usar como depósito de liquidos, porta treco na proa, quatro bancos em almofada e coletes salva vidas.

  

   

 

 

Inscrições para especialização em Ensino de Matemática estão abertas

 Estão abertas as inscrições para a especialização em Metodologias de Ensino em Matemática. A formação será ofertada na modalidade a distância e tem como objetivo promover e qualificar o desenvolvimento profissional de professores que trabalham com a disciplina na educação básica.

É direcionada a graduados e licenciados em matemática ou áreas afins que atuam no ensino básico. A oferta é uma ação da Universidade Aberta do Brasil (UAB) em parceria com os polos do Acre, Goiás e Santa Catarina. As inscrições podem ser feitas pelo site: https://www.ead.unb.br/index.php?option=com_content&view=article&id=205 até o dia 10 de maio.

O curso

 

A especialização será desenvolvida por meios de vivências de situações didático-pedagógicas que abordam aspectos teóricos, metodológicos e conteúdos matemáticos como uma produção histórico-cultural da humanidade.

Serão 120 vagas, distribuídas para os candidatos dos três estados. No Acre o curso será ofertado no polo de apoio presencial da UAB em Cruzeiro do Sul.

Especialização Matemática -  CARD

 

Parceria possibilita visita ao Planetário no Via Verde Shopping

Até o próximo dia 19, uma sexta-feira, o planetário adquirido pelo governo do Acre, por meio da Secretaria de Educação e Esporte (SEE), poderá ser visitado pela população em geral no hall do Via Verde Shopping. A exposição faz parte da divulgação da terceira edição da Mostra Viver Ciência, em Rio Branco, de 19 a 21 de setembro, e da segunda edição da Mostra no Vale do Juruá, em Cruzeiro do Sul, dias 24 e 25 de outubro.Planetário

Na semana passada, ele foi montado nas dependências do Centro de Referência em Inovações Tecnológicas (CRIE) e visitado por alunos da rede estadual de escolas do centro de Rio Branco, como CEBRB, Colégio Acreano, São José, CEJA, José Rodrigues Leite e Colégio de Aplicação.

O coordenador de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação (CECTI) da SEE, Aires Pergentino, explica que o planetário é uma oportunidade que os estudantes têm para conhecer um pouco mais sobre o sistema solar, as estrelas, os planetas, as constelações e tudo que estiver relacionado à astronomia.

No ano passado, ele foi visitado por alunos de escolas públicas e particulares durante a realização da segunda edição da Mostra Viver Ciência, em Rio Branco. Este ano, será montado pela primeira vez em Cruzeiro do Sul.

No Via Verde Shopping, a visitação ao planetário é gratuita e pode ser feita das 10 às 22 horas. Para o secretário de Educação e Esporte, Marco Brandão (SEE), é uma oportunidade de pessoas de qualquer idade realizarem uma grande aventura científica. “Qualquer pessoa fica maravilhada com a visita”, diz.

Sacola Viajante: o ousado projeto de leitura de uma escola no Acre

sacola viajante

Na zona rural de Rio Branco, quilômetro 17 da Transacreana, está localizada a Escola Estadual Wilson Pinheiro. Na instituição tudo inspira união e engajamento social, a começar pelo nome do órgão, uma homenagem a um dos grandes líderes seringueiros do Acre da década de 70.

E por mais que o local carregue o simbolismo de um herói histórico, a escola vai além, e busca, assim como seu homenageado, provocar mudanças de vidas e de comportamentos na comunidade. Exemplo disso é o audacioso projeto de leitura, intitulado carinhosamente como Sacola Viajante.

“Sacola Viajante é uma tática que criamos para incentivar a leitura e despertar o prazer pelos livros não só nos nossos alunos, mas nas famílias deles, pois as obras viajam, saem da biblioteca e vão para as casas dos estudantes”, explica Francielda Lima, diretora da escola.

De acordo com a gestora, essa foi uma forma que a instituição encontrou para aproximar as famílias e resgatar os momentos de intimidade nos lares, as partilhas e as trocas de experiências. “Hoje muitos vivem no seu isolamento particular, com seus aparelhos tecnológicos, e não têm mais o hábito de conversar, de interagir, de discutir ideias. O projeto vem para reavivar isso por meio da leitura”, destaca.

Resultado

 

A ideia foi implantada em 2016 e já tem revelado leitores assíduos. Lana Barreto, de 7 anos, é a prova disso. A pequena, ainda está no 2º ano do ensino fundamental, mas o amor pela literatura é tanto que até nas férias ela vai à escola só para pegar livros.

“Gosto de ler tudo. Contos de fadas, história em quadrinhos, poesias, qualquer coisa. Até livro de biologia e matemática, pois quando leio conheço várias coisas e lugares. E quando tem algo no livro que eu não sei o que significa, pergunto para a minha mãe ou para meus professores”, conta.

Edição 2017

 

Inspirada por alunos como Lana, a escola ampliou o projeto. E na semana passada, lançou a edição 2017, com a produção e entrega de mais 50 sacolas, para atender os 160 estudantes do local.

Representantes da coordenação de ensino rural e da diretoria de gestão da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) prestigiaram o lançamento. O deputado Daniel Zen, patrocinador do projeto, também esteve presente.

“Vamos fazer revezamento. A cada fim de semana um grupo leva para casa e depois traz para os outros. Todos vão poder levar, porque queremos que nossos alunos sejam apaixonados pelos livros. Queremos que ouvir e ler histórias até o fim não seja obrigação, mas um desejo norteado pela fantasia que só o livro tem”, diz a diretora.

18121673 1332851693435588 6665196315562759806 o

Na sacola

 

Na sacola há um livro paradidático e um questionário sobre a obra lida. São questões que instigam o educando a ler, interpretar e questionar. Ao mesmo tempo, colaboram para a democratização de um dos mais valiosos patrimônios culturais da humanidade, a escrita.

Inscrições para a Viver Ciência de Rio Branco estão abertas

 MG 1304

Já estão abertas as inscrições para a Mostra Acreana de Educação Ciência, Tecnologia e Inovação (Viver Ciência), realizada de 19 a 21 de setembro, em Rio Branco. O tema escolhido para esta edição é Ciência Unindo Saberes.

Podem aderir escolas e universidades acreanas. Para fazer a inscrição é necessário acessar o site: http://www.viverciencia.see.ac.gov.br/ até o dia 7 de julho.  São várias as categorias direcionadas à comunidade acadêmica, entre elas exposições de projetos científicos, palestras, oficinas e minicursos. As escolas podem ainda entrar na competição com concurso de blog e curta-metragem.

Comunidade

Integrantes da comunidade que não possuem vínculos com nenhum estabelecimento de ensino, podem submeter atividades artísticas, para o palco cultural, como espetáculos de danças, de músicas e de teatro.

Viver Ciência

 

A mostra é maior evento científico da educação básica do Acre e aposta na força jovem para a garantia de um futuro melhor. Tem como principal meta valorizar e instigar as produções científicas, tecnológicas e culturais, das instituições de ensino da Amazônia Sul Ocidental.

Começou em 2014, durante a semana da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, (SBPC) realizada no Acre. Na época ainda como projeto-piloto, chamado Jovem e Mirim. Nos anos seguintes cresceu, tornou-se independente e  se consolidou no calendário escolar do estado.

Em 2015 passou a se chamar Viver Ciência e já está em sua terceira edição na capital. Em Cruzeiro do Sul, começou em 2016 e este ano terá a segunda versão. Aliás, as inscrições para o Vale do Juruá também começam este mês, em 27 de abril e se encerram em 7 de julho, pelo mesmo site.

 MG 1238

Ciência Itinerante

 

“Nossos planos são abranger todo o estado e este ano, além da capital e do Vale do Juruá, a mostra irá se expandir para mais três municípios do interior: Tarauacá, Sena Madureira e Brasileia”, destaca Aires Pergentino, coordenador do evento.

De acordo com Pergentino, nas três localidades o projeto vai se chamar Ciência Itinerante, e será realizado nos meses de maio e junho. Os dias ainda não foram decididos.

A feira é uma realização do governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEE), em parceria com 26 órgãos locais e nacionais. Em Rio Branco, assim como nos anos anteriores, a programação será na Universidade Federal do Acre (Ufac).

Planetário pode se visitado pela comunidade em geral até o dia 19 de Maio no Via Verde Shopping

planet

Até o próximo dia 19 de Maio (sexta-feira), o planetário adquirido pelo governo do Acre, por meio da Secretaria de Educação e Esporte (SEE), poderá ser visitado pela população em geral no hall do Via Verde Shopping.

A exposição faz parte da divulgação da terceira edição da Mostra Viver Ciência, que acontece em Rio Branco entre os dias 19 e 21 de setembro e da segunda edição da Mostra no Vale do Juruá, que acontece na cidade de Cruzeiro do Sul nos dias 24 e 25 de outubro.

Na semana passada, ele foi montado nas dependências do Centro de Referência em Inovações Tecnológicas (CRIE) e foi visitado por alunos da rede estadual de escolas do centro de Rio Branco, como Cerb, Colégio Acreano, São José, CEJA, José Rodrigues Leite e Colégio de Aplicação.

O coordenador de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação (CECTI), da SEE, Aires Pergentino, explica que o planetário é uma oportunidade que os estudantes tem para conhecer um pouco mais sobre o sistema solar, sobre as estrelas, os planetas, as constelações e tudo o mais que está relacionado à Astronomia.

No ano passado, o planetário foi visitado por alunos de escolas públicas e particulares durante a realização da segunda edição da Mostra Viver Ciência, em Rio Branco. Este ano, será montado pela primeira vez em Cruzeiro do Sul.

No shopping Via Verde, a visitação ao Planetário é gratuita e pode ser feita das 10h às 22h. Para o secretário Marco Brandão (SEE) é uma oportunidade de pessoas de qualquer idade realizar uma grande aventura científica. “Qualquer pessoa fica maravilhada com a visita”, diz.

Merendeira divide o tempo entre as flores e o servir com carinho

Quando não está servindo aos meninos na cantina da escola é para um mundo mais justo ambientalmente que dona Ozimira Inajoza do Nascimento volta os olhos e os bons préstimos de suas mãos, ao cultivar um jardim.

No Dia Internacional do Trabalhador, a merendeira de 65 anos, 32 deles dedicados a uma das causas mais nobres que um ser humano possa abraçar, a educação, é lembrada como símbolo de que o trabalho, não só dignifica as pessoas, mas também muda o mundo.

A rotina dela, ao longo de mais três décadas, sempre foi a de preparar o mingau, o baião de dois ou o arroz com carne e bananas compridas cozidas.

Depois da refeição dos estudantes na escola Elozira dos Santos Tomé, na estrada para Porto Acre, onde desde sempre trabalhou, é a vez de pegar pesado com a louça. Detergente e esponja numa mão, pratos e colheres noutra e dana-se a ensaboar os utensílios com zelo, enquanto cantarola alguns trechos de Roberto Carlos.

“Foi sempre assim. A Mira é muito feliz no que faz aqui e é por isso que nossa escola é bem servida”, se orgulha a gestora da escola, Clecia de Souza Moura, ao falar da colega de trabalho.

A mulher multitarefa, nas horas vagas, cuida de orquídeas, azaleias e tulipas, algumas das plantas ali há mais de duas décadas. “Um dia, percebi que faltava cores na escola. Resolvi então criar o jardim. Nele, eu me encanto e me encontro”, ressalta ela.

As plantas vieram para o espaço escolar nas inúmeras viagens que Ozimira fez para resgatar crianças em situação de evasão no bairro Placas e Tancredo Neves. De casa em casa, pedia uma muda de planta aqui, outra acolá, até formar o jardim.Merendeira

Depois da refeição dos estudantes na escola Elozira dos Santos Tomé, na estrada para Porto Acre, onde desde sempre trabalhou, é a vez de pegar pesado com a louça. Detergente e esponja numa mão, pratos e colheres noutra e dana-se a ensaboar os utensílios com zelo, enquanto cantarola alguns trechos de Roberto Carlos.

“Foi sempre assim. A Mira é muito feliz no que faz aqui e é por isso que nossa escola é bem servida”, se orgulha a gestora da escola, Clecia de Souza Moura, ao falar da colega de trabalho.

A mulher multitarefa, nas horas vagas, cuida de orquídeas, azaleias e tulipas, algumas das plantas ali há mais de duas décadas. “Um dia, percebi que faltava cores na escola. Resolvi então criar o jardim. Nele, eu me encanto e me encontro”, ressalta ela.

As plantas vieram para o espaço escolar nas inúmeras viagens que Ozimira fez para resgatar crianças em situação de evasão no bairro Placas e Tancredo Neves. De casa em casa, pedia uma muda de planta aqui, outra acolá, até formar o jardim.

Enquanto membro do conselho escolar, foram várias as visitas às casas dos faltosos. E na garganta, um discurso de cor: “Estamos aqui para preparar cidadãos para a sociedade, e as crianças são o futuro de amanhã”.

“Muitas vezes, tirávamos o sábado para visitar residências de estudantes que não mais frequentavam as aulas. Para os pais o recado era claro: ‘Olha, você quer que seu filho se perca na vida? Você não quer que ele consiga um bom trabalho? Então diga a ele que volte para a escola’, nós aconselhávamos e dava certo, porque às vezes o pai nem estava sabendo que o filho não ia à escola”.

E aposentar-se agora, nem pensar. “Acho que em dezembro, eu vou”, diz. E pelas contas da escola, esse já é o quinto em que ela promete ir para casa. “Agora é de verdade, vou sim, porque quero um tempinho para brincar com meus bisnetos”.

Mas a depender do tempo e do carisma de Ozimira do Nascimento, é provável que ela fique por lá mais 20 anos, quem sabe, se assim o Criador a permitir. Afinal, em meio ao jardim e à tarefa de servir as refeições, a merendeira da escola Elozira Tomé encontrou o trabalho mais feliz do mundo.

Tião Viana profere aula inicial da nova etapa do Quero Ler em Cruzeiro do Sul

IMG-20170427-WA00281-916x600

A cidade de Cruzeiro do Sul mergulhou no conhecimento durante toda esta quinta-feira, 27, ao iniciar tanto uma nova etapa do programa de alfabetização de adultos Quero Ler, quanto lançar o maior evento científico de educação básica da Amazônia, o Viver Ciência.

E o governador Tião Viana realizou, no Teatro dos Náuas, uma aula especial, para um grande público constituído por adultos que estão se alfabetizando agora e jovens estudantes da rede pública que ganham um mundo de saberes.

“A leitura é libertação. É ela que dá as asas da liberdade. Cada um tem suas razões e sonhos, e o sentido de um programa como o Quero Ler é que vocês tenham uma maior chance de realizá-los. Viver a ciência, viver o mundo, são algumas das melhores coisas que podemos fazer por nós mesmos”, disse o governador Tião Viana que também é médico e professor universitário.

PSX 20170427 163301-1-899x600

Metas ousadas 

 

O Quero Ler é o mais ousado programa de alfabetização de adultos do país. Criado por Tião Viana, ele pretende erradicar o analfabetismo no Acre até o fim de 2018, atendendo cerca de 60 mil pessoas.

Só em Cruzeiro do Sul, a meta é atingir quatro mil pessoas nessa nova etapa até setembro.

Já o Viver Ciência chega a sua segunda edição em Cruzeiro do Sul com o tema Ciência Unindo Saberes. Se no ano passado o evento atraiu um público de oito mil pessoas, a meta da Secretaria de Educação é chegar a 12 mil com as atividades deste ano.

Segundo o secretário de Educação e Esporte, Marco Brandão: “São dois grandes eventos de um governo que entendem que desenvolver as pessoas pela educação é desenvolvê-las para o mundo”.

A Superação

PSX 20170427 203250-828x600

A empregada doméstica Maria José da Costa, de 44 anos, deu um depoimento emocionante de como o Quero Ler aos poucos tem mudado sua vida. Obrigada a largar os estudos muito cedo para lutar por sua sobrevivência, Maria agora voltou às aulas com muita determinação.

“Meu sentimento é de conquista. Eu tive filhos muito cedo e tive que priorizar criá-los e educá-los. Mas comecei no programa, e ler e escrever é uma sensação muito boa. É algo que eu não quero deixar de fazer. Quero muito mais, quero ir até o final”, conta a senhora.

Participando da solenidade, o deputado estadual Daniel Zen ressaltou que o governo não tem medido esforços pelo sucesso dos dois programas. “São dois eventos que se completam. O Quero Ler é uma chance de conhecer as letras para aqueles que não tiveram essa oportunidade. E o Viver Ciência já é para todos descobrirem oportunidades educacionais diferentes, indo além do básico da sala de aula”.

 

Governo realiza aula inaugural do Quero Ler e lançamento da Viver Ciência em Cruzeiro do Sul

WhatsApp Image 2017-04-27 at 14.59.27

 

 

O Governo do Estado e a Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEE) realizam nesta quinta-feira, 27, a Aula inaugural do Quero Ler e o lançamento da Mostra Acreana de Educação Ciência, Tecnologia e Inovação – a Viver Ciência em Cruzeiro do Sul. O evento vai ser realizado no teatro dos Nauás, às 15 horas.

 O Quero ler é o ousado programa de alafabetização criado por Tião Viana para erradicar o analfabetismo em todo o Acre até 2018, atingindo um total de 60 mil pessoas acima de 15 anos.

Já a Viver Ciência é o maior evento científico da educação básica do Acre.  Que este ano chega a sua segunda edição em Cruzeiro do Sul, com o tema Ciência Unindo Saberes.

O Governador, Tião Viana, o Secretário de Educação, Marco Brandão e outras autoridades locais e regionais, participarão do evento. Na solenidade será apresentado o site da edição da Viver Ciência e também liberado o regulamento para as inscrições das instituições do Vale do Juruá.

Alunos das escolas do centro de Rio Branco tem a oportunidade de conhecer o Planetário

DSC 0454

Alunos das escolas estaduais localizadas no centro de Rio Branco tem a chance de, pela primeira vez, conhecer o planetário, adquirido pelo governo do Acre por meio da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) e que está montado nas dependências do Centro de Referência em Inovações Educacionais (CRIE).

Ele estará disponível para visitação dos alunos até esta sexta-feira, 28. As escolas que realizam as visitas programadas são Cerb, Colégio São José, Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA), Colégio Acreano, José Rodrigues Leite e Colégio de Aplicação.

De acordo com o coordenador de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação (CECTI) da SEE, Aires Pergentino, o planetário trata-se de uma oportunidade que os alunos tem para conhecer um pouco mais sobre o sistema solar, as estrelas, os planetas, as constelações e tudo o mais que está relacionado à astronomia.

DSC 0472

O planetário foi utilizado no ano passado, durante a segunda Edição da Mostra Viver Ciência, na UFAC, e este ano estará pela primeira vez durante a realização do evento no município de Cruzeiro do Sul, nos dias 24 e 25 de outubro. Entre os dias primeiro e 20 de maio, ele será montado no Shopping Via Verde, em Rio Branco.

Crianças indígenas são retratadas em exposição fotográfica no Acre

Fotos Mardilson Gomes 18

Uma exposição fotográfica retratando aspectos da vida das crianças indígenas brasileiras é realizada no Acre. ‘Sobre Crianças Indígenas’ procura apresentar ao público recortes do cotidiano de oito etnias, de Norte a Sul do país.

Os gestos,  formas e cores vibrantes das fotos refletem as identidades e os comportamentos das crianças de cada tribo, diante de ações rotineiras como brincar, pintar e interagir. As relações dos povos com a floresta é o grande destaque das  fotografias que, juntas, compõem um mosaico dos indígenas.

“Para nós, indígenas, as crianças constroem saberes com a comunidade e, para elas, não existem barreiras culturais, pois interagem com qualquer grupo social facilmente, por isso são vistas como  grandes difusores de cultura. Essa exposição vem para mostrar isso e  também as diferentes formas de ser criança entre os indígenas” explica, Solange Manchineri, curadora do evento.

A exposição já passou por seis escolas da zona urbana de Rio Branco. E nestas quarta e quinta-feiras, (26 e 27) está aberta ao público durante todo o dia, no hall do Centro de Referência de Inovações Educacionais (Crie), antigo Mira Shopping, no centro de Rio Branco.

unnamed

De acordo com Izis Melo, da Coordenação de Educação para os Direitos Humanos e Cidadania e Diversidade, da Secretaria Estadual de Educação (SEE), a atração é uma forma de expressar, por meio da arte, a história dos diferentes povos e ao mesmo tempo fomentar as discussões sobre os indígenas com o intuito de diminuir o preconceito e contribuir com o cumprimento da lei n.º 11.645.

“Levamos para algumas das escolas e trouxemos para o Crie com o intuito de apresentar para  a comunidade a diversidade e a riqueza das populações do Brasil. Queremos conscientizar nossa sociedade da importância de se conhecer, respeitar e valorizar as diferenças sociais, culturais e raciais”, frisa.

Fotografias de revista

As fotos são arquivos do Conselho de Missão entre Povos Indígenas (Comin),  e estão na revista Sobre Crianças Indígenas, lançada pelo órgão nacional este ano.  Os povos retratados foram Mbyá Guarani, Kaiowá Guarani, Caingangues, Laklano Xokleng, Karo Arara, Apurinã, Jamamadi e Ikoloehj Gavião.

No acre a exposição conta com a parceria da Secretaria Estadual de Educação e Universidade Federal do Acre (Ufac).

 

Em Cruzeiro, jovem transporta alunos voluntariamente para aulas do Quero Ler

quero eler

Ainda não tinha anoitecido e o jovem Eremilson Medeiros de Almeida, de 22 anos, já estava em sua terceira viagem, transportando estudantes na garupa da sua motocicleta para as aulas da escola Craveiro Costa, no bairro Remanso, em Cruzeiro do Sul, a segunda maior cidade do Acre, de pouco mais de 82 mil habitantes, distante 640 quilômetros de Rio Branco.

As idas da casa para a escola – e vice-versa – são um incentivo a mais para as pessoas matriculadas naquela que é considerada a maior mobilização de alfabetização de jovens e adultos da Região Norte, o programa Quero Ler, do governo do Acre.

Almeida, estudante do curso de Educação Física da Universidade Federal do Acre (Ufac), não recebe nada pelo transporte dos alunos. Ele começou levando e trazendo a sogra, moradora do Cruzeirão, para participar das aulas da filha, a noiva dele, a estudante de Matemática da Ufac Janáira Silva de Souza, 20 anos, monitora do Quero Ler.

Percebeu que seu voluntariado poderia se estender para mais pessoas, a maioria donas de casas, lavadeiras e domésticas fatigadas de descer e subir ladeiras na parte do dia – a cidade é toda sobre relevos íngremes –, mas ávidas por uma oportunidade de aprender a ler e a escrever no período da noite.

“Eu vou lá [à casa dos alunos] porque muitos não têm como vir. Além de a distância ser grande entre os bairros, aqui no Remanso é perigoso. Há muito marginal. Por isso, a melhor forma de ajudar para que não ocorressem evasões foi dessa forma”, ressalta o universitário.

Mas Almeida também tem mais uma carta na manga em favor dos alunos do Quero Ler. Ele ajuda a companheira Janáira nas atividades pedagógicas e no desempenho de cada aluno ao longo das aulas.

“As pessoas já me veem como professor e porque sou voluntário. Isso não me incomoda de não ter remuneração, porque fui gostando da coisa e estou até ajudando minha noiva. Isso para mim é muito bom”, explica o rapaz.

quero ler editada

A professora Janáira no início até pensou em desistir. “Mas como ele vem comigo e ainda traz nossos alunos, tudo ficou mais fácil e prazeroso de ensinar.”

Na próxima quinta-feira, 27, o governador Tião Viana participa em Cruzeiro do Sul da aula inaugural da segunda etapa do programa, cujas turmas já começaram no dia 27 de março na maioria dos municípios acreanos.

De 2016 a março último, pelo menos 12.214 estudantes já passaram ou ainda estão estudando pelo programa Quero Ler, em 724 turmas, na região do Vale do Juruá, onde estão localizados os municípios de Porto Walter, Marechal Thaumaturgo, Rodrigues Alves, Mâncio Lima e Cruzeiro do Sul. A meta em todo o estado é alfabetizar 60 mil pessoas até o fim de 2018.

Mostra Viver Ciência é lançada no Acre

Lançamento do Viver Ciencias. Fotos Mardilson  Gomes 14

A Mostra Acreana de Educação Ciência, Tecnologia e Inovação – a Viver Ciência foi lançada na manhã desta terça-feira, 25, no auditório da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), em Rio Branco.

A Viver Ciência, maior evento científico da educação básica do Acre, chega este ano à terceira edição em Rio Branco e segunda em Cruzeiro do Sul. O tema escolhido para ambas em 2017 é: Ciência Unindo Saberes.

A ideia busca apresentar à população projetos e iniciativas desenvolvidos nas escolas e universidades da região. Na prática, é uma grande feira de ciências e inovações tecnológicas aberta ao público em geral.

 A governadora em exercício Nazareth Araújo destacou: “Através das feiras do Viver Ciências, nós estimulamos as crianças a pensarem como deve ser o amanhã, a pensarem o que elas podem estar construindo em terrenos novos. Se queremos promover uma sociedade de paz, temos que investir muito no caminho da ciência, da inovação, da cultura e das oportunidades aos nossos jovens”.9-18-871x600

Marco Brandão, secretário de Educação, ressaltou que esta é uma oportunidade para se apropriar de conhecimentos que perpassam pelo moderno, sem esquecer as origens. “A partir daí, temos como descobrir quem somos, de onde viemos e para onde vamos”, frisou.

Para a estudante Valéria Silva, a Viver Ciência é uma ferramenta que envolve e estimula a comunidade escolar a trabalhar juntos. “Esta é a segunda feira de que participamos. Até setembro muitas ideias irão brotar e, com certeza, todas com a intenção de melhorar a vida em comunidade”, salientou.

Programação

 

Durante a programação a comunidade escolar tanto pode apresentar projetos como participar de outras atividades como oficinas, minicursos e palestras. Competições de blogs e curtas produzidos pelas escolas também integram a mostra.

Na solenidade foi apresentado o site desta edição e também liberado o regulamento para as inscrições. As informações detalhadas da feira podem ser encontradas acessando o www.viverciencia.see.ac.gov.br

Renata Silva, secretária de Estado de Ciência e Tecnologia, acredita que a tecnologia é um importante instrumento para melhorar a qualidade da educação e explicou ainda que o site busca a cada ano a constante construção e melhoria da Viver Ciência.

Viver Ciência 

 

    

A Mostra teve início em 2015 e tem se destacado no calendário acadêmico do estado. Só no ano passado em Rio Branco, a feira reuniu mais de 25 mil pessoas. Em Cruzeiro do Sul, sete mil convidados prestigiaram a programação.

A edição deste ano, nas duas cidades, já têm data definida. Em Rio Branco será realizada de 19 a 21 de setembro. No Vale do Juruá, também já foi programada e será nos dias 24 e 25 de outubro.

Lançamento da Mostra Viver Ciência será nesta terça na capital

Viver ciencia

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) lança nesta terça-feira, 25, a Mostra Acreana de Educação Ciência, Tecnologia e Inovação – a Viver Ciência. O evento vai ser realizado no auditório do órgão, a partir das 8h30.

A Viver Ciência é o maior evento científico da educação básica do Acre. Este ano chega a sua terceira edição em Rio Branco e segunda em Cruzeiro do Sul. O tema escolhido para ambas em 2017 é: Ciência Unindo Saberes.

Site e regulamento 2017

O governador do Estado, Tião Viana, e outras autoridades locais e regionais, participarão do lançamento. Na solenidade será apresentado o site desta edição e também liberado o regulamento para as inscrições.

Ciência Unindo Saberes

O tema busca apresentar a população acreana, os projetos e iniciativas desenvolvidas em todas as áreas nas escolas e universidades da região. Na prática é uma grande feira de ciências e inovações tecnológicas aberta ao público em geral.

Durante a mostra, a comunidade escolar tanto pode apresentar projetos como participar de outras atividades como oficinas, minicursos e palestras. Competições de blogs e curtas produzidos pelas escolas também integram a feira.

 MG 0699

Viver Ciência

A mostra se iniciou em 2015 e tem se destacado no calendário acadêmico do Estado. Só no ano passado, em Rio Branco, a feira reuniu mais de 25 mil pessoas. Em Cruzeiro do Sul, 7 mil convidados prestigiaram a programação.

As datas para a edição deste ano, nas duas cidades, já tem data definida. Em Rio Branco será realizada de 19 a 21 de setembro. No Vale do Juruá, também já foi programada e acontecerá nos dias 24 e 25 de outubro.

Convite - Viver Ciência

A Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEE), lança nesta terça-feira, 25, a Mostra Acreana de Educação Ciência, Tecnologia e Inovação – a Viver Ciência. O evento vai ser realizado no auditório do órgão, a partir das 08h30.

 A Viver Ciência é o maior evento científico da educação básica do Acre. Este ano chega celebra a sua terceira edição em Rio Branco e segunda em Cruzeiro do Sul. O tema escolhido para ambas em 2017 é: Ciência Unindo Saberes.

18119031 1661035730859441 6369772868390156452 n

“Com a escola jovem posso acreditar no meu potencial”, diz aluna da Boa União

DSC 0192

Jéssica Ferraz dos Santos é estudante do primeiro ano da Escola Jovem Boa União, uma das sete em tempo integral implantadas esse ano pelo governo do Acre por meio da Secretaria de Educação e Esporte (SEE).

E o que faz Jéssica ser diferente? Na Boa União há outros alunos com necessidades especiais, mas ela é a única surda e é acompanhada diariamente pela intérprete de língua de sinais (libras) Valderlene Figueiredo.

Apesar dessa limitação, Jéssica já descobriu que a nova metodologia de ensino implementada pela SEE permite que ela consiga acreditar em si e projetar um futuro melhor. “A escola me faz acreditar no meu potencial para alcançar os meus sonhos”, disse.

Juntamente com outros alunos da Escola Boa União, ela participa da semana do protagonismo, que é realizada pela SEE em parceria com o Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE), onde ex-alunos de escolas de tempo integral compartilham experiências.

No caso de Jéssica, que quer ser instrutora de língua de sinais e trabalhar com crianças, a nova modalidade de ensino integral faz com que ela passe a acreditar em si mesma e na sua capacidade de aprendizagem.  “Estamos aprendendo que temos potencial e podemos fazer nossa própria história”, completou.

A semana do protagonismo acontece até sexta-feira, 28, nas sete escolas de tempo integral e durante as atividades coloca o jovem no centro de todas as ações e desperta no aluno o sentido de liderança a fim de buscar aquilo que se deseja.

E uma das ideias da semana é que se criem grupos temáticos, onde cada um possa participar onde melhor se identificar. Cleber Lima, que orienta os alunos na Escola Boa União, diz que podem ser criados grupos de música, de teatro e até de jornal.  “São coisas que ele não vê em sala de aula e pode ajudar o aluno na vida dele”, explicou.

SEE explica as principais mudanças do Enem 2017

ENEM2-1-450x450

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano sofreu algumas mudanças. O secretario de Educação do Acre, Marco Brandão, explica quais foram as principais alterações feitas pelo Ministério da Educação (MEC). A principal delas é a mudança dos dias de provas. Este ano, serão aplicadas em dois domingos consecutivos (5 e 12 de novembro) – antes os testes eram realizados em um único fim de semana (sábado e domingo).

Outra mudança significativa do exame é relativa à redação, que passa a ser no primeiro dia de prova, junto com as áreas de Linguagem, Código e suas Tecnologias, e Ciências Humanas e suas Tecnologias.

“As novas regras buscam atender as opiniões coletadas durante a consulta pública sobre o exame, realizada pelo MEC no início do ano. Além disso, as novas medidas visam aumentar a segurança das provas”, explica Brandão.

Certificado de ensino médio

 

Além da modificação da ordem de aplicação das áreas do conhecimento, outra que chamou atenção é referente ao certificado de conclusão de ensino médio. A partir deste ano não existe mais a possibilidade de obter a certificação por meio do Enem.

Agora o estudante interessado em conseguir a certidão terá que fazer o Exame Nacional de Certificação de Jovens e Adultos (Encceja), que é o teste adequado para esse fim.

Atendimento Especial 

 

Para os candidatos com necessidades especiais, também houve reforma. Nesta edição, as pessoas que precisam de tempo adicional para fazer as provas devem solicitar as horas extras no ato da inscrição, e não mais na hora da prova, como era anteriormente.Além disso, os solicitantes devem anexar documento que comprove os motivos do pedido do benefício. 

Taxa de Inscrição 

 

Mais uma medida adotada é quanto ao valor da inscrição, que passou de R$ 68 para R$ 82 (reajuste de 20,58%).

Os pedidos de isenção também têm novas regras – agora quem solicitar terá que informar seu Número de Identificação Social (NIS) no ato da inscrição. A partir disso, o sistema fará a busca automática dos dados do requerente a partir da declaração do NIS.

Podem solicitar inscrição gratuita quem concluiu o ensino médio em escola pública e candidatos cadastrados no Cadastro Único (CadUnico), do Ministério de Desenvolvimento Social e Reforma Agrária, que identifica integrantes de famílias de baixa renda.

Também podem ser isentos cidadãos com renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio por pessoa e que tenham cursado o ensino médio inteiro em escola pública ou em escola privada com bolsa integral.

O período das inscrições também já tem data definida: inicia-se no próximo 8 de maio e se encerra dia 19 do mesmo mês, pelo site do Instituto Nacional de Pesquisas Institucionais (Inep).

 

Ex-estudantes do ensino integral de Pernambuco relatam experiência escolar

O modelo de educação em tempo integral propõe o desenvolvimento do currículo que vá além do desempenho escolar e envolva dimensões afetivas e emocionais, dialogando com o meio sociocultural e familiar em que o estudante está inserido.

No Acre, as aulas recentemente iniciadas sob novo conceito, tiveram a mediação de ex-estudantes de estados que avançaram no quesito ensino desde a implantação das aulas integrais, a exemplo de Pernambuco, o pioneiro, que atualmente possui mais de 300 escolas integrais num universo de cerca de mil colégios estaduais.

escola tempo integral 06 04 2017 angela peres-5-924x600

Intitulados de protagonistas, os jovens vieram ao Acre realizar o acolhimento dos alunos e tiveram contato diário por uma semana para propagar suas experiências, para que a partir dessa vivência elas se multipliquem.

No Instituto Lourenço Filho, por exemplo, um total de 12 protagonistas, que no momento ou cursam ou já concluíram o nível superior, foram enviados pelo Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE), responsável pela prestação de consultoria às escolas que adotam esse modelo no Brasil. 

O aprendizado que também se pode ensinar

escola tempo integral 06 04 2017 angela peres-13

“A estratégia do acolhimento não tem como falhar, por se tratar de jovem falando diretamente para jovem, sobre sonhos, sobre possibilidades, sobre quão transformadora pode ser a experiência de traçar as próprias metas e de ser o principal autor da própria história. E o retorno que tivemos aqui foi algo muito recompensador e impressionante”, pontuou o jovem pernambucano Gilberto Romeiro, 23 anos, acadêmico de Ciências Sociais.

Também protagonistas pelo ICE de Pernambuco, Akyla Tavares e Catharina Florêncio, de 18 e 20 anos, respectivamente, atribuem conquistas pessoais como a escolha do curso superior à boa formação adquirida no ensino integral. Akyla também é acadêmico de Ciências Sociais e Catharina optou por Engenharia de Minas.

escola tempo integral 06 04 2017 angela peres-15-801x600

“Graças à equipe escolar que tive eu cheguei à decisão por qual área atuar. O modelo de gestão do ensino integral é determinante pra ajudar os jovens nesse processo da autodescoberta e, principalmente, de ter segurança sobre as próprias decisões que nortearão seu futuro”, declara Catharina.

Para Akyla, o maior ganho que os jovens podem ter com esse padrão de ensino é o olhar humanista que cada um deve ter acerca de si mesmo.

“Isso vai além de apenas ter conhecimento ou de ter uma profissão. A gente aprende a analisar em qual área se dá melhor, o que realmente fascina, pra que em cima disso se possa construir um projeto de vida. Então, com base nessas questões que envolvem o lado humanista e o do conhecimento é que se trabalha o conceito de educação, ou seja, a junção de tudo isso”, observou.

escola tempo integral 06 04 2017 angela peres-14

Escola Jovem no Acre

 

Sete escolas públicas do estado tiveram a implantação do ensino integral. No programa Escola Jovem, o governo está investindo R$ 28 milhões. Desses, R$ 7 milhões são provenientes de verba federal, os outros R$ 21 milhões são recursos próprios do Estado.

Nesta primeira etapa em que apenas o ensino médio terá a metodologia, o objetivo é beneficiar cerca de 4.000 alunos. Já a meta para 2018 é que o modelo se estenda para o ensino fundamental e também para a zona rural.

O programa tem como base de metodologia quatro princípios educativos. Um deles é protagonismo juvenil, que coloca o aluno como agente principal de todo o processo. Também a pedagogia da presença, que trabalha a formação mais ampla do aluno, desde as emoções até as competências.

É importante, ainda, observar os pilares da educação, o que se resume em estimular o aluno a conhecer, aprender a fazer, a conviver e a ser, e, por fim, a educação interdimensional, que torna o professor um orientador para ajudar o aluno a desenvolver suas habilidades, estabelecendo a relação sinérgica entre escola, família e sociedade.

O alvo é fazer com que os estudantes tenham a capacidade de se visualizar em um projeto de vida estabelecido por eles mesmos e que a escola seja apenas corresponsável pela evolução desse processo.

Educação indígena específica: uma política pública que emergiu das aldeias – artigo

secom acre SV 2017-2-1-902x600

A política pública de educação para os povos indígenas do Acre tem passado por constantes transformações. O Estado consolida suas ações a partir das demandas que emergem das aldeias. Esse processo educacional, responsável pela garantia de direitos, hoje é a base do fortalecimento cultural dos povos da floresta. Neste depoimento, o cacique da Aldeia Água Viva, de Tarauacá, Bené Huni Kuin, relata como tem ocorrido o processo:

“São duas cobras: uma engolindo a outra. A Língua Portuguesa e a Língua Hãtxa Kuîn [dialeto Huni Kuin]. Nesse processo de educação homogênea, percebemos que a nossa cultura e língua estavam sendo engolidas pela Língua Portuguesa. A jiboia grande, a língua majoritária, a língua oficial brasileira, estava nos engolindo. E, apesar de o povo Huni Kuin ser mantenedor da sua cultura, a cobra grande nos devorava.

Algumas de nossas aldeias já estavam dentro da barriga da cobra, e nos perguntamos o que poderíamos fazer para reverter isso. Então percebemos o tamanho do desafio que seria sair da barriga da cobra. Tudo isso nos fez entender e reconhecer que língua oficial e majoritária é a nossa, a Hãtxa Kuîn.

Ela não está oficializada pela lei, mas por nós mesmos, porque é a nossa língua-mãe. Nela estão nossas características pessoais. Precisamos mantê-la para nos comunicarmos e existirmos como povo. Caso contrário, muito em breve, o povo Huni Kuin estará apenas na história. E nós não queremos ser apenas história.

Muitas tradições do nosso povo se perderam, porque os conhecedores, os nossos mestres, levaram para a eternidade. Com essa educação específica, realizado em parceria com o governo, vamos perpetuar e fortalecer a nossa cultura. Somente assim, a jiboia não irá mais nos engolir e poderemos caminhar em comunhão.

No Acre, estamos trabalhando para que os ensinamentos da Língua Portuguesa se unam aos nossos conhecimentos, dentro e fora das salas de aula, nas nossas aldeias. Uma língua respeitando a outra. Tudo começou em 2004, quando eu trabalhava na Assessoria Pedagógica da Educação Escolar Indígena, na TI Praia do Carapanã e a gente ouvia falar em educação indígena diferenciada. Nesse período, comecei a me perguntar o que seria essa educação diferenciada.

Para o público não indígena, a diferença estava homogeneizada, pois a cultura indígena acreana Huni Kuin parecia ser a mesma dos índios do Sul. Em conversas com o doutor em Linguística pela Universidade de Brasília [UnB] Joaquim Maná Huni Kuin, percebemos a necessidade de trabalhar essa diferença e de discutirmos a nossa educação.

Foi quando concebemos um modelo de educação indígena específica, a Huni Kuin. O Paulo Roberto [Ferreira], da Secretaria de Estado de Educação, foi nosso parceiro nesse processo. A partir de 2004, a proposta de ensino foi levada às 12 TIs Huni Kuin existentes no Acre.

Montamos uma equipe: quatro professores visitaram esses lugares, para mostrar como fazer a diferente e, principalmente, que a diferença estava em nós mesmos. Em 2009, tive o privilégio de falar sobre isso no curso de formação de professores indígenas, que contou com a presença de representantes dos 15 povos do Acre e do então governador, Binho Marques.

Nosso desafio estava posto. Começamos a estruturar esse modelo de educação, que valorizava a especificidade da cultura de cada povo. A partir daí, percebemos que formar professores e educadores indígenas para atuar apenas na sala de aula não era suficiente. Precisávamos ir além.

Nos anos seguintes avançamos. Em 2011, com o apoio do governo do Estado, CPI, Organização dos Professores Indígenas do Acre [Opiac] e Unicef, entre outros parceiros, realizamos a primeira experiência do curso de formação de política linguista, que contou com a presença de 50 professores, na Aldeia Água Viva. Foi um sucesso.”

 

Seminário discute lei sobre ensino de história e cultura indígena

DSC 0479

A lei 11.645 de 2008, que orienta sobre o ensino de história e cultura indígena no currículo das escolas brasileiras, foi tema do IV Seminário Indígena, realizado no Acre, nesta quinta-feira, 20. O evento foi sediado na Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE).

“Precisamos discutir estratégias para aplicar a lei nos planejamentos pedagógicos das nossas instituições. O seminário foi promovido para debatermos formas de se trabalhar e valorizar a cultura dos povos indígenas, nos nossos estabelecimentos de ensino, bem como em políticas públicas”, explica Izis Melo, chefe da Coordenação de Educação para os Direitos Humanos e Cidadania e Diversidade, da SEE.

O debate contou com a participação de profissionais de vários segmentos sociais e indígenas acreanos. Uma das congressistas foi Alana Manchineri, acadêmica de Biologia, da Universidade Federal do Acre, (Ufac). A universitária faz pesquisa sobre a educação indígena nas escolas de Rio Branco e ressalta que a 11.645/2008 é uma ferramenta importante no processo de desconstrução de estereótipos.

“As populações indígenas são estereotipadas por grande parte da população. Existem muitos preconceitos em torno das tribos, porque falta conhecimento. A lei vem para desmistificar certas visões, que destoam da realidade, e para mostrar que os indígenas brasileiros são mais do que mostram os livros escritos pelos colonizadores”, destaca.

O assessor de assuntos Indígenas do Acre, Zezinho Hunikui, também participou do evento e ressaltou a importância de iniciativas assim para a valorização da diversidade histórica, linguística, e cultural da região.

“Os gestores precisam conhecer os diferentes modos de vida das populações indígenas, para que possam levar o conhecimento real e não o fictício, para as salas de aulas e organizações”, salienta.

O seminário foi promovido pela SEE, e os parceiros, Ufac, Conselho Municipal de Cultura, Fórum Permanente de Educação Étnico Racial do Estado do Acre e Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos.

‘Bate Papo com o Secretário’ reúne mais de 500 estudantes da EJA da região da Sobral

Para o site

Mais de 500 estudantes das modalidades da Educação de Jovens e adultos, a EJA, puderam desfrutar de um a aula diferente, no auditório da sede da Secretaria de Educação e Esporte do Acre, a SEE, na noite desta quinta-feira, 20.

A programação especial faz parte do programa ‘Bate Papo com o Secretário’, cuja finalidade é levar temas como autoestima, a finalidade da existência do ser humano e a necessidade da satisfação nos estudos para estudantes de todos os níveis e modalidades de ensino.

Esta edição de quinta-feira foi única, sobretudo, porque contou com a participação dos estudantes da EJA de todas as escolas da baixada da Sobral, lar de ao menos 60 mil pessoas, e região cujos estudantes vêm recebendo uma atenção toda especial por parte da SEE.

Antes da conversa com os estudantes e os professores e gestores das escolas, o secretário de Educação, Marco Antônio Brandão, recebeu o deputado federal Leo de Brito, que saudou a todos e elogiou “o compromisso e a dedicação com que o professor Marco Brandão vem conduzindo a pasta em prol do crescimento das pessoas por meio do conhecimento”.

Questões como “por que existimos”, “pra que estudar” e outras sobre vocação profissional foram abordadas com maestria pelo secretário Marco Brandão, de uma forma agradável e didática.

“Para mim, é uma satisfação participar desse evento porque aprendemos bastante e nos divertimos também”, ressalta o trabalhador Inocêncio Oliveira Batista, da EJA 2 da escola João Paulo 2º.

Ele foi um dos presentes que esteve interagindo com o secretário Brandão, diante de uma plateia composta de centenas de estudantes das mais diversas idades. Além dos estudantes da escola João Paulo 2º, participaram do bate papo os das escolas Marilda Gouveia e Serafim Salgado.

O programa Bate Papo com o secretário continua na próxima semana, nas escolas da rede pública de ensino de todo o estado.

Secretaria de Educação e de Juventudes preparam edição 2017 do Festival Estudantil da Canção

xaxa

Uma comissão de técnicos e coordenadores da Secretaria de Estado de Educação e Esporte do Acre (SEE), das Secretarias de Juventude do Município e do Estado, e de representantes da Fundação Elias Mansour esteve ontem na primeira reunião de apronto para a realização do Festival Estudantil da Canção, o FEC, cuja data de realização ainda está indefinida.

O FEC é um projeto de caráter educativo, artístico e cultural, produzido para promover a participação de todos os estudantes das redes municipais, do estado e também das escolas privadas.

Em Rio Branco, no ano passado, ao menos 237 estudantes, de 29 escolas de ensino médio, participaram do Festival. Os estudantes podem participar nas seguintes categorias: melhor intérprete, melhor música autoral, vídeo mais votado (júri popular) e escola mais atuante.

Para você, estudante, que queira participar, em breve teremos mais informações.

Secretário Marco Brandão realiza Bate Papo com alunos da Escola Serafim Salgado

DSC 0112

O Projeto “Bate Papo com o Secretário” desta quinta-feira, 20, aconteceu com os alunos da Escola Serafim Salgado, localizada na estrada da Sobral, oportunidade que o secretário de Educação e Esporte (SEE), Marco Brandão, teve a oportunidade de conversar com os alunos do ensino fundamental II.

Boa parte desses alunos, no ano que vem, estará matriculada na Escola José Ribamar Batista (Ejorb), um das sete da capital que oferta ensino em tempo integral para a comunidade.

Aos alunos, Marco Brandão falou da importância do estudo, em adquirir conhecimento, mas sobretudo como aproveitar o tempo para que os jovens possam fazer a melhor escolha profissional, no futuro.

Muito além do tempo, para o secretário, os jovens precisam ter sonhos, ter sentimentos, mas sobretudo necessitam também ter atitudes positivas e acreditar que é possível se alcançar os objetivos.

“Precisamos ter amor a nós e aos outros, respeitar o próximo e disseminar bons conceitos como a não violência e negar as coisas ruins, além claro, de ter sonhos, sentimentos e atitudes para realizar todas as coisas”, disse aos estudantes.

À noite, o Bate Papo com o secretário acontecerá para alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) de toda a região da Baixada, no auditório da própria SEE. A expectativa é que mais de 300 alunos participem das atividades.

Secretaria de Educação oferta formação para coordenadores de ensino no município de Senador Guiomard

DSC 0167

A qualidade do ensino depende também dos profissionais que atuam nas escolas. Por isso, a Secretaria de Educação e Esporte (SEE) realizou nesta quinta-feira, 20, uma formação para coordenadores de ensino das 12 escolas estaduais do município de Senador Guiomard.

As escolas rurais e urbanas envolvidas na formação são: Raimundo Hermínio de Melo II, Bom Destino, Boa Vista, Maria Auxiliadora Cunha, Tufic Asmar, Diva Pereira, São Francisco de Assis II, 15 de Junho, Maria José Bezerra, Santo Izidoro, Veiga Cabral e Carlos Casavecchia.

O secretário Marco Brandão prestigiou a formação e parabenizou o núcleo da SEE pela iniciativa. Aos coordenadores, destacou a importância dos profissionais estarem dispostos em aprender coisas novas para socializar com os professores e com toda a comunidade escolar.

“Nós sempre temos que estar dispostos a aprender, a desaprender coisas que aprendemos e aprender coisas novas e esse é o momento que os profissionais que atuam nas escolas, que coordenam os trabalhos com os professores comecem a refletir, a debater, a socializar e a compartilhar experiências e garantir para a comunidade acreana o acesso à educação”, disse o secretário.

O coordenador do núcleo da SEE de Senador Guiomard, professor Avanyr Brito, explicou que a formação dos coordenadores é o momento também de dialogar sobre o ensino, de socializar as experiências e colaborar com o trabalho desenvolvido nas escolas urbanas e rurais do município. 

Acre comemora Dia do Índio com avanços na área da educação

índios-3-580x403

O Acre possui ampla diversidade cultural. Seu território é composto por 16 etnias registradas, sendo que uma é recém contactada, além da haver outras duas não contactadas. Com o ingresso da Frente Popular no governo, em 1999, iniciou-se uma política de reconhecimento e valorização dos povos indígenas, até então trabalhada apenas por entidades como a Comissão Pró-Índio (CPI).

Entendendo a importância da educação na consolidação de um novo Acre, o Estado desenvolve um trabalho de parceria nas Terras Indígenas (TIs), especialmente na área da educação. As demandas, que emergem das aldeias, são transformadas em políticas públicas.

De acordo com a Coordenação de Educação Escolar Indígena, da Secretaria Estadual de Educação, em abril de 2017, um novo fôlego se fez para todos povos indígenas no Acre, para os 621 professores e 8497 alunos das escolas indígenas. Trata-se do reconhecimento oficial das categorias escola e professor indígena. A parceria entre o UNICEF, o governo do Acre, a Organização dos Professores Indígenas do Acre (OPIAC) e a Comissão Pró-Índio do Acre (CPI-AC) permitiu a realização do Seminário Subsídios para a Criação das Categorias Escola e Professor Indígena e outros Marcos Legais para a Gestão Intercultural no Acre.

Este seminário, fruto do GT de Educação Escolar Indígena (2011), do qual fazem parte Funai, CPI-AC, OPIAC, SEE-AC e a Assessoria Especial para Assuntos Indígenas (AEPI), possibilitou a elaboração com caráter formativo e consultivo das diretrizes orientadoras que normatizarão as categorias escola e professor indígena, junto a lideranças educacionais no Acre.

“Criar mecanismos legais em discussão com os atores indígenas significa zelar pela qualidade e bom funcionamento das escolas, bem como, a adequação dos procedimentos de gestão intercultural necessários ao sistema de educação. O desafio que os meses seguintes apresentam está no desenvolvimento, no âmbito da Comissão Estadual de Educação Escolar Indígena, dos textos finais e apreciação pela Assembleia Legislativa do Acre”, destacou o coordenador de Educação Indígena, Paulo Roberto Ferreira.

O secretário de Educação e Esporte, Marco Brandão, completou: “Nesse momento precisamos de celeridade. Precisamos, juntos construir os encaminhamentos para que, a partir desse momento histórico alcancemos os resultados desejados por todos”.

Investimentos

 

Ao todo, 600 professores indígenas atendem e lecionam nas 213 escolas construídas nas aldeias acreanas. São  8.497 alunos indígenas em todo o estado.

O governo do Estado, por meio das secretarias de Educação e Obras Públicas, trabalha na entrega de outras nove escolas, ainda este ano. Em março, o governador Tião Viana anunciou a implantação de um Centro Cultural Bilíngue, na aldeia Água Viva, localizada na TI Huni Kuin em Tarauacá.

Em todo o estado, existe a demanda de instalação de cinco centros bilíngues. O funcionamento desses espaços de educação específica para os povos indígenas marcará a consolidação de uma política pública, que tem em seu epicentro o debate levantado nas aldeias.

Seminário Indígena será realizado nesta quinta-feira

card atualizado

Será realizado nesta quinta-feira, 20, no Acre, o VI Seminário Indígena. O evento tem como objetivo dialogar sobre os aspectos que envolvem a implementação da lei 11.645/08, que estabelece a valorização da história e cultura indígena no currículo escolar.

O encontro vai ser sediado no auditório da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), a partir das 8 horas. Tem como público alvo gestores de escolas, professores, integrantes de movimentos sociais e sociedade em geral.

A ação é uma iniciativa da Coordenação de Educação para os Direitos Humanos e Diversidades, Cidadania e Diversidade da SEE, em parceria com a Universidade Federal do Acre (Ufac), Conselho Municipal de cultura e Fórum Permanente de Educação Étnico Racial do Estado do Acre e Sejudh.

 

Secretário Marco Brandão dialoga com alunos do Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA)

DSC 0062

O bate-papo desta quarta-feira, 19, do secretário de Educação e Esporte (SEE), Marco Brandão, aconteceu no auditório do Colégio Acreano, no centro de Rio Branco, com os alunos do Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA).

Mais de trezentos estudantes tiveram a oportunidade de dialogar com o secretário, que fez inicialmente falou sobre a importância da Educação, do tempo em nossas vidas, das perspectivas de futuro que precisamos ter e, também, sobre as ações que o governo do Acre realiza para melhorar a qualidade de ensino.

Os alunos do CEJA aproveitaram a oportunidade com o secretário Marco Brandão e realizaram muitas perguntas, participando ativamente do debate. Uma das principais preocupações era sobre questões relacionadas ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), já que muitos estão concluindo os módulos pretender dar continuidade aos estudos.

Antes de conversar com os alunos do CEJA, o secretário Marco Brandão visitou escolas do regional São Francisco, como a Iza Mello, a Raimundo Borges e também a Theodolina Falcão Macedo. As visitas servem para aproximar a SEE da comunidade escolar, ouvindo demandas e sugestões.

Nota de Pesar pelo falecimento da servidora Maria Angélica Oliveira de Lima

luto

NOTA DE PESAR

 

A Secretaria de Educação e Esporte (SEE), por meio da Divisão de Comunicação, lamenta com profundo pesar o falecimento da servidora Maria Angélica Oliveira de Lima, vítima de infarto na manhã desta terça-feira, 18.  Maria Angélica tinha 47 anos, 12 como agente administrativa da SEE. Seu corpo está sendo velado na Igreja Assembleia de Deus localizada na rua Recreio, no bairro Parque das Palmeiras e seu sepultamento vai acontecer nesta quarta-feira (19.04),  às 9h, no cemitério São João Batista.

Que Deus conforte o coração de toda a família neste momento de dor e tristeza. 

Leitura e interpretação é tema de formação para docentes do Acre

Fotos Mardilson Gomes 10

Para além de ensinar os alunos a ler e escrever, o desafio da escola é garantir a compreensão dos textos e provocar nos estudantes o gosto pela leitura. É o que a formação ofertada pela Secretaria de de Educação do Acre (SEE) aos professores está buscando.

“Nossos alunos precisam saber ler e interpretar os conteúdos que leem em todas as áreas do conhecimento. A formação vem para orientar os professores sobre a importância de se trabalhar com textos em humanas, mas também em exatas, em códigos e em tecnologias”, explica Edilse Marques, assessora pedagógica.

O curso se iniciou nesta segunda-feira, 17, e vai até o próximo dia 20. Está sendo realizado na Fameta. Participam cerca de 700 docentes, do ensino fundamental e médio, das escolas urbanas estaduais de Rio Branco.

Cynthia Cavalcante, coordenadora da Escola Clícia Gadelha, é uma das integrantes. Ela conta que a formação é importante porque qualifica os profissionais para formar leitores fluentes.

“Aqui estão reunidos professores de diferentes campos, discutindo estratégias para melhorar a capacidade dos alunos acreanos com leituras, escrita e também interpretação. Essa proposta é inovadora, porque vai ajudar a melhorar as habilidades de nossos estudantes em todos os âmbitos”, destaca.

Inscrições para curso de Orientação e Mobilidade estão abertas

17991936 1323939970993427 7743618069928336091 n

Para os deficientes visuais, se locomover com segurança é fundamental para que possam interagir com o seu meio e melhorar a qualidade de vida. Pensando em ajudar as pessoas que trabalham ou convivem com alguém com essa necessidade, o Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual do Acre (CAP) oferece este mês o curso Orientação e Mobilidade.

“O curso tem como objetivo fornecer técnicas a partir do desenvolvimento de atividades práticas de localização e locomoção envolvendo técnicas e práticas para o guia vidente, técnicas de proteção, pré-bengala e utilização da bengala, vivências e práticas com vendas e bengalas”, explica Gercineide Maia, coordenadora do CAP.

As inscrições se iniciam nesta segunda-feira, 17, e vão até quinta-feira, 19, no CAP. Para se inscrever é necessário apresentar documentos originais com cópias. São eles: Identidade, CPF, certificado de conclusão de ensino superior ou médio. Para professores, é obrigatória ainda, a declaração original da escola na qual leciona.

Serão 25 vagas, distribuídas da seguinte forma: 10 destinadas à comunidade em geral. As outras 15 serão divididas entre professores do Atendimento Educacional Especializado (AEE), docentes de sala comum, servidores do CAP e portadores de deficiência.

Podem participar pessoas que tenham ensino médio completo e no mínimo 18 anos de idade. O curso terá carga horária de 80 horas, com aulas presenciais e a distância. Começa no próximo dia 24, segunda-feira, e se encerra em 22 de maio.

Educação entrega equipamentos em escolas rurais

DSC 0968

Levar o ensino de qualidade para as escolas no interior do Acre não é tarefa fácil. Mas essa tem sido uma das prioridades da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE). Durante todo o ano, as equipes da coordenação de ensino rural trabalham para acompanhar as instituições mais afastadas da região.

Na semana passada, um grupo se deslocou até as escolas ribeirinhas Floresta e Ena de Oliveira, para entregar kits pedagógicos aos professores do projeto Asas da Florestania e coletes salva-vidas aos alunos que utilizam transporte fluvial.

“Nossa equipe se desdobra para atender todas as comunidades, por mais isoladas que sejam, porque nossa missão é garantir aos alunos acesso e permanência a um ensino que possibilite crescimento social, econômico e cultural, mesmo diante dos limites impostos pelo denso território amazônico”, explica Ricardo Gelete, coordenador do Ensino Rural.

As duas instituições ficam às margens do Rio Acre, no Projeto de Assentamento Moreno Maia, distante cerca de 60 quilômetros de Rio Branco. No trajeto, a primeira escola é a Ena de Oliveira, onde foram entregues os coletes.

Welligntom Nascimento, aluno da localidade, usa o barco como principal meio de transporte. De casa até a escola, gasta cerca de 1h20. “Sou acostumado com o rio, porque nasci e cresci nas suas margens, e andar de canoa para mim é algo normal. Não tenho medo, mas o colete é útil. Caso aconteça algum acidente, como alagação, por exemplo, vou ter uma proteção”, conta.

DSC 0057-679x450

A diretora da escola, Rosa Cruz, explica a importância dos equipamentos: “Temos 175 alunos, e 30 deles vêm para aula de barco. Os coletes são fundamentais, porque o transporte e a segurança são nossas maiores preocupações. Na zona rural, o cuidado começa muito antes de os estudantes entrarem nos portões da escola, quando eles ainda estão em casa”, conta.

Rural Floresta

 

Já na Escola Floresta, os profissionais fizeram o acompanhamento pedagógico e a entrega de kits didáticos. O diretor do estabelecimento, José Rufino, explica que a visita dos representantes da SEE à comunidade ajuda a gestão no processo escolar e mostra o compromisso do Estado com a educação dos ribeirinhos.

“Aqui as equipes têm a oportunidade de conhecer de perto a realidade da escola e fazer as interferências necessárias, no âmbito administrativo e educacional”, diz.

DSC 0939-e1491851836342

Secretário Marco Brandão dialoga com alunos da Escola São João Batista, no Bujari

buja 2

O salão da Igreja Assembleia de Deus do município do Bujari, distante 28 km de Rio Branco, ficou completamente lotado de alunos da escola São João Batista para dialogar com o secretário de Estado de Educação e Esporte (SEE), Marco Brandão.

Para os alunos, Marco Brandão falou de sonhos, de perspectivas de futuro e também sobre a importância da Educação e persistência nos estudos para ser feliz e conseguir fazer as pessoas felizes. “Aproveitar o tempo e fazer da escola um local agradável é fundamental para se alcançar os objetivos”, disse.

Além dos estudantes, ele também aproveitou a oportunidade para dialogar com professores do Programa Asas da Florestania e das salas multisseriadas, que esta semana participam de uma formação continuada coordenada pelo núcleo da SEE no município.

À equipe escolar, o secretário destacou o esforço do governador Tião Viana para valorizar o trabalho dos educadores e tudo o que o governo tem feito para melhorar a qualidade de ensino. Também frisou a importância da escola conhecer seus alunos para que se possa planejar da melhor forma o trabalho a ser realizado.

“A escola precisa conhecer seus alunos, os professores precisam aprender a aprender e a primeira coisa a ser feita pelas equipes é identificar os problemas a partir de um planejamento bem feito”, destacou.

Secretaria de Educação inicia mobilização para mais uma etapa do Programa Quero Ler que inicia em Junho

quero 3

O auditório do Hotel Loureiro foi o local escolhido por coordenadores de núcleo, gestores de escolas e demais profissionais do Baixo Acre para iniciar a programação de mais uma fase do Programa Quero Ler.

Representantes de Capixaba, Acrelândia, Plácido de Castro, Senador Guiomard, Rio Branco, Porto Acre, Bujari, Manoel Urbano, Santa Rosa do Purus, Jordão, Marechal Thaumaturgo e Porto Valter estão definindo a etapa do Programa que irá se iniciar no mês de junho.

De acordo com o subsecretário de Alfabetização e diretor de Gestão da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), professor Evaldo Viana, serão abertas mais 1.042 turmas, contemplando mais 12,7 mil jovens e adultos que terão a oportunidade de conhecer o mundo das letras.

No ano passado, foram alfabetizados 6,8 mil pessoas em municípios do Juruá e também na capital, Rio Branco. “Com essa nova etapa do Programa que irá se iniciar, vamos chegar a 28 mil jovens e adultos sendo alfabetizados”, afirmou.

Além da etapa de abril iniciada e com a etapa de junho em planejamento e mobilização, o governo do Acre, por meio da SEE, irá abrir novas turmas do Programa Quero Ler também nos meses de setembro e dezembro. “Com isso, vamos chegar, até o final de 2018, com 60 mil pessoas alfabetizadas”, explicou o subsecretário.

Para viabilizar a abertura dessas novas turmas, o governador Tião Viana deverá anunciar edital para a concessão de 1.042 bolsas para alfabetizadores, além de 52 bolsas para coordenadores de turmas.

O coordenador do núcleo de Capixaba, professor Ocimar Pereira, faz questão de dizer que o Programa Quero Ler em Capixaba está chegando “na hora certa”. “Nossa meta é alfabetizar, somente neste momento, 860 pessoas”, disse.

Comunicado

Alerta de dedetização 1

Dom Bosco oferece curso de práticas colaborativas no contexto inclusivo

ensino-especial

O Centro de Atendimento Educacional Especializado (AEE) Dom Bosco, de Rio Branco, abre na próxima segunda-feira, 10, as inscrições para o curso Práticas Colaborativas do AEE no Contexto Inclusivo. A formação é voltada para profissionais que possuem nível superior.

Para efetuar a inscrição, é necessário se dirigir ao Dom Bosco e apresentar a carteira de identidade, o CPF e o diploma de graduação. O órgão está situado na Rua Alberto Torres, no Conjunto Mariana.  O atendimento será feito até o dia 20 de abril, em horários comerciais. Pela manhã das 7 às 11 horas e à tarde das 13 às 17 horas.

Ao todo, 40 vagas serão ofertadas. Dessas, 20 serão direcionadas exclusivamente para os professores da rede estadual, as outras estarão disponibilizadas para a comunidade em geral. 

Curso    

O curso será dividido em três módulos, na modalidade presencial. O primeiro será ofertado ainda este mês, o segundo em maio e o terceiro em junho. A capacitação é uma iniciativa da Coordenação de Ensino Especial da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE).

Professores conhecem potencial da Plataforma Educ

DSC 0823

Aproximadamente 50 professores do Instituto São José, de Rio Branco, estão participando do curso Tecnologia na Educação, ofertado pela Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), por meio da Plataforma Digital Educ. O objetivo da formação é ensinar e incentivar os professores a fazer uso dos recursos tecnológicos disponibilizados pela plataforma, para criarem aulas inovadoras, sintonizadas com as demandas do século 21.

“As tecnologias fazem parte da vida de todos nós. A ideia é se apropriar e utilizar isso a favor da educação. O curso vem exatamente nesse sentido: fazer com que os docentes conheçam e se apropriem das infinitas possibilidades da ferramenta no processo de ensinar e aprender”, destaca Cirlanda Costa, coordenadora do instituto.

DSC 0843

Educ

 

Educ é uma plataforma educacional do Acre, conectada com a era tecnológica. A ferramenta customizada pela SEE possui mais de seis mil objetos digitais de aprendizagem, os chamados ODA – animações, infográficos, vídeoaulas e jogos, que são disponibilizados gratuitamente à comunidade.

A professora de alfabetização Suzete Nascimento conta que os softwares irão auxiliá-la no planejamento pedagógico e na dinamização das aulas. “Os aplicativos nos dão muitas possibilidades para inserir a tecnologia no cotidiano da escola. Por exemplo, dá para trabalhar gêneros diversos com histórias em quadrinhos, poemas, trava-línguas e curta-metragem, tudo online. Para os alunos isso é fantástico, porque é o mundo deles”, explica.

O curso      

O curso é uma iniciativa do Núcleo de Tecnologia Educacional, da SEE. “Estamos desenvolvendo cursos e oficinas em todo o estado para mostrar aos educadores o potencial das tecnologias como instrumentos pedagógicos. A escola precisa acompanhar as mudanças da sociedade e transformar o ensino em algo mais dinâmico e interativo”, explica Gleice Moreira, coordenadora do núcleo.

 

Concurso de Desenho e Redação: Inscrições estão abertas

 

banner-460-x-510

O Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da

União, está promovendo o 9o Concurso de Desenho e Redação. A competicção tem como

objetivo despertar nos estudantes o interesse por assuntos relacionados ao

controle social, à ética e à cidadania, por meio do incentivo à reflexão e ao debate

desses assuntos nos ambientes educacionais.

O edital da 9o edição, já está disponível no Portal da Criança Cidadã,

no site www.portalzinho.cgu.gov.br. As inscrições podem ser feitas pelo site e vão até 30 de setembro de 2017.

Inscrevam-se!!

Projeto de Meio Ambiente ajuda na revitalização da escola Carlos Vasconcelos

carlos 1

“Qualidade de Vida e Sustentabilidade no Futuro”. Esse é o nome de um projeto de Meio Ambiente que vem sendo desenvolvido pela Escola Carlos Vasconcelos, localizada no Segundo Distrito de Rio Branco, e que tem como objetivo desenvolver a consciência socioambiental em toda a comunidade escolar.

Os trabalhos são desenvolvidos a partir do Projeto Lixo Zero, do gabinete da Primeira da Dama Marlúcia Cândida, e ajuda a revitalizar a escola, que sofreu um incêndio no final do ano passado e foi completamente reformada pelo governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE).

Nesta sexta-feira, 7, os alunos do 7º ano A tiveram a oportunidade de trabalhar com a reciclagem de pneus, orientados pela professora de Artes Maricélia Mendes. Eles puderam observar as possibilidades de transformação de um pneu velho em peças de decoração e objetos de casa.  

De acordo com a professora, haverá outros momentos em que os alunos irão trabalhar a reciclagem de outros materiais e também a urbanização da escola, além da horta, em parceria com os viveiros da cidade. “Hoje, com essa reciclagem de pneus, queremos mostrar aos alunos que tudo pode ser aproveitado”, afirmou.

A gestora da Escola, Síria Generosa da Silva, comemora o sucesso do projeto. Segundo ela, a professora Maricélia trouxe muitas ideias inovadoras serão aproveitadas em outros momentos, como o dia das mães, por exemplo, agora no mês de maio.

E os 374 alunos do Ensino Fundamental II e do Poronga tem participação fundamental na realização do projeto. Maria Adriely Rezende, por exemplo, do 7º A,  diz que gostou de trabalhar com a reciclagem de pneus e aprendeu muito. “Eu não sabia que a gente podia reciclar tanta coisa”, disse.  

 

Em Mâncio Lima, Educação chama comunidade para as aulas do Quero Ler

Mancio Lima

Uma cruzada pela erradicação do analfabetismo no Vale do Juruá foi conclamada nesta quinta-feira, 6, pelo secretário-adjunto de Educação, Evaldo Viana, em Mâncio Lima, município mais ocidental do Acre, a 20 quilômetros da segunda maior cidade do estado, Cruzeiro do Sul.

A ideia é a de que todos os educadores sejam irmanados na construção de uma agenda para a região que permita a inserção de praticamente todos os jovens e adultos, que ainda não leem, nem escrevem, no maior programa da alfabetização da região Norte, o Quero Ler, criado na administração do governador Tião Viana.

A reunião de Mâncio Lima é uma das muitas que vêm sendo realizadas, nesta semana na região, com gestores, professores, coordenadores de ensino e os próprios alunos do programa.

Em todo o estado, a segunda etapa do Quero Ler começou no último dia 27 de março com pelo menos 8.008 estudantes já participando. Nesta nova fase, são 594 professores e 30 coordenadores. A maioria dos alunos é composta de donas de casa, pais de família, pedreiros, marceneiros e estivadores que não tiveram a oportunidade dos estudos das séries iniciais.Mâncio Lima Evaldo

Segundo Evaldo Viana, a visita da SEE aos locais mais distantes do estado “faz parte da construção de uma política pública de melhorias nos municípios empreendida pela administração do governador Tião Viana”.

“Já avançamos muito ao chegarmos aos diretores de escolas das localidades mais longínquas, aquelas de difícil acesso, por entendermos que todos, indistintamente, merecem ter a dignidade por meio da leitura e da escrita”, completa Viana.

No ano passado, em Cruzeiro do Sul, por exemplo, mais de mil alunos do Quero Ler concluíram as etapas iniciais pelo programa Quero Ler e hoje continuam seus estudos na Educação de Jovens e Adultos, a EJA. Na segunda etapa, concluída em março deste ano, eles foram 1,2 mil. Nesta terceira etapa, que começou em março, outros 1,2 mil alunos terão concluído o curso, perfazendo 3,4 mil pessoas alfabetizadas no município.

Em Rodrigues Alves, 90 estão prestes a ser matriculados enquanto que outros 170 estão como certos para estudar em Mâncio Lima. O Quero Ler tem como objetivo erradicar o analfabetismo no Acre até 2018, ensinando a ler e a escrever pelo menos 50 mil pessoas em todo o estado.

Educação e comunidades debatem novos caminhos para o ensino indígena

Indígena

Debater a consolidação da escola e de professores indígenas tem sido um dos grandes temas de um encontro que está sendo realizado esta semana no Centro de Formação da Comissão Pró-Índio (CPI) e que envolve, além da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), também a Comissão Pró-Índio (CPI), a Organização dos Professores Indígenas do Acre (Opiac) e a Unicef.

Pela SEE participam das discussões, com 15 comunidades indígenas do estado, a Coordenação de Ensino Indígena, representada pelo professor Paulo Roberto Nunes e pela Opiac, a professora Francisca Arara.

A professora Francisca Arara, durante um encontro ampliado, que teve a presença do secretário Marco Brandão (SEE) e da representante do Unicef, Eliana Almeida, fez questão de destacar que se tratava de um momento histórico. “Temos que agradecer ao governo do Estado pela abertura diálogo”, disse.

Marco Brandão destacou a importância de recuperar a memória e abrir espaços institucionais para as comunidades indígenas. “O que a gente precisa neste momento é de celeridade, não temos tempo e a perder e a inclusão das comunidades é uma decisão política do nosso governo”, afirmou.

No encontro, ficou acertada a criação de uma comissão para criar um conselho das entidades indígenas, que vai debater e tratar sobre todas as questões das comunidades, como tipificar as escolas e, principalmente, como se dará a formação dos professores.

“O compromisso que estamos assumindo é para consolidar os fundamentos da educação indígena, rever o processo de formação dos professores e definir novos marcos reguladores, além de caminhar rumo ao primeiro concurso para professores indígenas”, destacou o secretário.

Dia do Braille terá atividades comemorativas em Rio Branco

Braile

Em 8 de abril é celebrado em todo o país o Dia Nacional do Sistema Braille. Para comemorar a data, o Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual do Acre (CAP), realizará na sexta-feira, 7,  atividades alusivas ao tema.

A programação começa a partir das 7 horas, com uma panfletagem nas proximidades do órgão, logo em seguida o local passará por uma intervenção artística e terá alguns ambientes cobertos com materiais escritos em Braille. O encerramento será com um filme com audiodescrição. A instituição está localizada no bairro Estação Experimental, em Rio Branco.

“A proposta é conscientizar a população da importância de ensinar o deficiente visual a ler e a escrever, para que ele possa conquistar sua autonomia, tanto na escola quanto na sociedade” explica Gercineide Maia, coordenadora.

 Braille

 

O Braille é um código tátil, em alto relevo, criado pelo francês Louis Braille.  O método promove o processo de leitura e escrita das pessoas cegas ou com baixa visão. Sua escrita é baseada na combinação de seis pontos, dispostos em duas colunas de três pontos, que permite a formação de 63 caracteres diferentes. Os símbolos formados representam as letras do alfabeto, números, simbologia aritmética, fonética e musicografia.

“Hoje a informática desempenha um papel importante na aprendizagem e independência dos cidadãos, por meio de recursos tecnológicos, mas nenhum deles substitui o Braille. Porque é uma ferramenta que facilita o acesso à informação, à leitura, cultura e ao mundo do trabalho”, destaca a coordenadora.

CAP

 

O CAP faz parte da Coordenação de Educação Especial, da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE). Há 16 anos apoia o processo de inclusão educacional dos acreanos em todo o processo de escolarização.

Secretaria de Educação oferece formação para professores do Ensino Fundamental I em Rio Branco

João 2

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), por meio da Diretoria de Ensino, oferece para os professores do ensino fundamental I da zona urbana de Rio Branco, uma formação continuada nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática.

A formação acontece até esta sexta-feira, 7, e está sendo realizada em cinco pólos diferentes: na Escola São Francisco de Assis I, Escola Maria Angélica de Castro, Escola Natalino da Silveira Brito, Escola João Paulo II e no Centro de Referência em Inovações para a Educação (CRIE).

Ao todo, participam da capacitação, nesses cinco pólos, 671 professores e 57 coordenadores e tem como finalidade oportunizar aos professores uma reflexão sobre o ensino da matemática e língua portuguesa nas séries iniciais, traçando estratégias, propósitos e procedimentos de leitura.

Márcia Moreira é formadora da SEE na Escola João Paulo II, na região da Baixada da Sobral e explica que a formação acontece todos os anos e serve para orientar o trabalho dos professores em sala de aula.

“Essa formação acontece todos os anos para capacitar e orientar os trabalhos  e é específica para professores e coordenadores que trabalham com alunos do 1º ao 5º anos, as séries iniciais do ensino”, explicou a formadora. 

Governo anuncia nova fase do Quero Ler no Vale do Juruá

Os principais ajustes, nos mais diversos setores da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) no Vale do Juruá, foram tratados nesta quarta-feira, 5, pelos gestores das escolas públicas da região e pelo secretário-adjunto da SEE, Evaldo Viana, em Cruzeiro do Sul (distante 640 quilômetros de Rio Branco).

Ao lado da professora Rosária Solon da Paz, coordenadora de Apoio aos Núcleos de Educação nos Municípios da SEE, Evaldo Viana anunciou também a segunda etapa do programa Quero Ler, que pretende erradicar o analfabetismo no Acre até 2018, ensinando a ler e a escrever pelo menos 50 mil pessoas em todo o estado. Em Cruzeiro do Sul, na primeira fase cerca de 1.200 alunos participaram do programa.

Assuntos como aumento salarial, repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e problemas e soluções, vividos no dia a dia pelos diretores de escolas, também estiveram na pauta do encontro.

“Atualmente, vivemos um grande dilema, que é o crescimento dos recursos do Fundeb  na razão inversa ao crescimento da folha. E mesmo assim, o governo do Estado não tem medido esforços no sentido de valorizar cada um de nossos educadores”, afirmou Evaldo Viana para uma plateia de educadores, tanto da zona urbana quanto da zona rural.

Ele refere-se ao recente reajuste salarial de 23.75% concedido neste mês aos professores pelo governo do Estado. Frisou que o Acre tem hoje a maior rede de ensino pública do país proporcionalmente à sua população, atendendo a pelo menos 160 mil alunos, com mais de 250 escolas, somente da educação básica e outros 960 espaços alternativos de estudos.

Para o ano letivo que se inicia, Viana leva ao Juruá as novas perspectivas com relação à gestão da Educação, e entre elas a mais ousada: a formação de novas salas do já mencionado programa Quero Ler.quero ler - FACE

Para o professor Charles André Cavalcante, coordenador-geral do Núcleo da Educação em Cruzeiro do Sul, a chegada da equipe da Educação ao Juruá sinaliza o compromisso dos gestores da pasta com o ensino público, sobretudo, por ouvirem os educadores locais e proporem ações que melhorem o aprendizado de jovens e adultos.

“Só agradecemos a sensibilidade de nos prestar o apoio devido e dizer que estamos de braços abertos para novas empreitadas como será mais essa etapa do Quero Ler”, disse o educador.

À tarde, a equipe da SEE se deslocou para Rodrigues Alves. Ali, o encontro foi com professores, gestores e a comunidade local.

Secretário acompanha alunos das escolas em tempo integral

Por toda a manhã desta terça-feira, 4, o secretário de Estado de Educação e Esporte (SEE), Marco Brandão, fez questão de acompanhar o início das aulas nas escolas de tempo integral e passar uma mensagem positiva aos alunos.

Ele iniciou o ciclo no Instituto de Educação Lourenço Filho (IELF), onde os alunos são recepcionados pela equipe de coordenadores e professores e, no auditório, dialogam com ex-alunos de escolas em tempo integral de Pernambuco, que estão em Rio Branco compartilhando experiências.

Ainda no IELF, Brandão aproveitou a oportunidade para conhecer as salas temáticas, uma vez que a nova metodologia a ser utilizada nessas escolas são os alunos se deslocando em cada espaço, possibilitando aos professores transformar e personalizar tematicamente as salas.

Depois ele esteve na Escola Humberto Soares, no bairro José Augusto, onde nesta terça-feira iniciaram as aulas para os alunos dos primeiros anos. Passou uma mensagem aos alunos e aproveitou para ratificar o contrato de boa convivência entre os sujeitos da comunidade escolar.

Na Escola Armando Nogueira, o secretário falou para os professores que estão finalizando uma capacitação com equipes da SEE e com o Instituto Natura, parceiro importante do governo do Estado para a implantação das escolas em tempo integral no Acre.Secretário Tempo Integral

Nesta quarta-feira, 5, terão início as aulas para os segundos anos em todas as escolas e além da recepção aos alunos, as equipes gestoras também realizam reuniões com os pais , explicando a importância desse modelo para a melhoria da qualidade do ensino.

Quero Ler vai alfabetizar mais de 6 mil jovens e adultos em Tarauacá

Em 2015, o governador Tião Viana assumiu o desafio de alfabetizar, até o fim de 2018, nada menos do que 60 mil jovens e adultos em todo o estado. Somente em Tarauacá, esse público corresponde a mais de seis mil pessoas.

Atendendo a tal compromisso, o secretário de Estado de Educação e Esporte (SEE), Marco Brandão, com o apoio da coordenadora do Núcleo da SEE em Tarauacá, Francisca Aragão, encontrou-se, esta semana, com uma equipe competente e comprometida naquela cidade.Quero Ler Taraucá

“Aqui em Tarauacá, a equipe fez uma adesão pra valer do Quero Ler, graças ao professor Francisco das Chagas Souza [mais conhecido como “Moço”] e à professora Francisca, que já foi vereadora, secretária municipal de Educação e é uma referência no estado”, afirmou.

Marco Brandão fez questão de mencionar que, quando a professora foi secretária municipal, o analfabetismo caiu bastante – ao assumir a pasta, em 1997, o analfabetismo adulto atingia 68,8% da população e, quando entregou o cargo, em 2002, o índice estava reduzido para 22,9%.

Uma das principais entusiastas do Quero Ler, ao ouvir o convite do governador Tião Viana e do secretário Marco Brandão para coordenar o programa no município, Francisca fez questão dizer que estava “recebendo um presente”.

Ela já trabalhou com diversos programas de alfabetização, em parceria com instituições públicas e privadas. E procura transmitir entusiasmo e comprometimento à sua equipe: “Quando o governador anunciou o programa, de imediato me coloquei à disposição para ajudar: “O que mais me incomoda é quando vou ao banco e vejo aquelas pessoas idosas pedindo a um e a outro para ver o saldo, para fazer um saque. Isso acontece diariamente. Então esse despertar para a cidadania representa a liberdade das pessoas”.

“Desafiador”

Já para o professor Francisco, o programa é desafiador, mas também gratificante para quem participa diretamente, ensinando as pessoas. “É uma oportunidade para os jovens que estão começando a trabalhar [em Educação]. Então, esperamos que eles gostem, que se empolguem e dediquem todo o carinho a esse trabalho”, disse.

E continuou: “Se você tem uma equipe pedagógica boa e se você tem material didático, isso faz uma diferença muito grande. A nossa equipe é excelente e acreditamos que vai dar conta. Temos uma dívida com as pessoas que não tiveram a oportunidade de estudar na idade certa”, disse. De origem rural e tendo sido alfabetizado apenas após os 12 anos de idade, o professor sabe do que está falando.

O grande desafio agora, segundo Brandão, é atingir a zona rural. E para que o Quero Ler possa ser um sucesso, não estão descartadas parcerias com outras ações de governo: “A gente tem uma grande possibilidade, que é usar programas como o Asinhas da Florestania para levar a alfabetização às áreas mais distantes. É uma estratégia, porque o mesmo professor que vai trabalhar com as crianças pode atender os adultos”, disse.

Programa Quero Ler

O programa de erradicação de analfabetismo Quero Ler, sob a coordenação do professor Evaldo Viana, subsecretário de Alfabetização, já havia chegado, desde sua implantação, a quatro municípios acreanos: Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Feijó. E no início deste ano a outros quatro: Brasileia, Xapuri, Epitaciolândia e Sena Madureira.

Agora em março, com a abertura de mais 1.022 turmas, atingirá os 22 municípios acreanos, contemplando mais de 12 mil novos alunos. Somente em Tarauacá, são mais 101 novas turmas, contemplando mais 1.425 jovens e adultos.

Cada etapa tem duração de cinco meses, com três horas-aula por dia. A partir daí, o aluno está capacitado para dar continuidade aos estudos: “O aluno sai com o domínio da escrita e da leitura, pronto para ingressar na EJA [Educação de Jovens e Adultos]. Além de erradicar o analfabetismo no estado, o programa trabalha a autoestima dos alunos”, observa a professora Augusta Rosas, coordenadora-geral do Quero Ler.

Gestores e alunos recebem acolhimento no primeiro dia do ensino integral

DSC 0505

Os investimentos do governo do Acre na implantação do ensino integral foram na ordem de R$ 28 milhões. Com esse montante, a Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), juntamente com os parceiros que tornam a iniciativa uma realidade no estado, realiza ao longo de toda a semana o acolhimento das equipes gestoras (funcionários, professores e coordenadores) e de mais de 3,5 mil alunos de sete escolas de Rio Branco.

Pela manhã, a recepção foi para as equipes e à tarde para os alunos dos primeiros anos. O secretário Marco Brandão (SEE) acompanhou a dinâmica na Escola Glória Perez, no bairro Chico Mendes, e também na José Ribamar Batista (Ejorb), no Aeroporto Velho.

Do Estado de Pernambuco, vieram 46 alunos que participam do acolhimento aos profissionais nas sete escolas. “São ex-alunos que têm experiência em escola de tempo integral”, afirmou Brandão. 

No fim da tarde, será realizada também a recepção aos pais dos alunos. É uma etapa importante para que eles entendam qual é a lógica dessa escola e como funciona para valer. Acolher é fundamental nesse novo modelo”, destacou.

As outras escolas que recebem a ampliação de horário são a Armando Nogueira, Instituto de Educação Lourenço Filho (Ielf), Boa União, Humberto Soares e Sebastião Pedrosa.

 

Instituto de Matemática atende diferentes públicos em seus cursos

DSC 0424

O Instituto de Matemática, Ciências e Filosofia (IMCF) iniciou, na quinta-feira, 30, as aulas para cerca de 750 alunos. O órgão, da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), oferece cursos gratuitamente em diferentes áreas do conhecimento.

Diversificado também é o público atendido pela instituição, que recebe não só estudantes de escolas públicas e privadas, mas também professores e a comunidade em geral.

João Mitsumori estuda no Colégio Meta e aproveitou a oferta para cursar Matemática Divertida. “Tenho dificuldade em Exatas e vi no instituto uma oportunidade de melhorar meu aprendizado. Quero aprender a fazer interpretações de cálculos”, conta. 

Perfil acadêmico

 

O professor do Quero Ler Armando Ribeiro é atualmente o mais novo aluno de Filosofia Existencial do IMCF. “Buscar conhecimento nunca é demais. Eu me interesso pelas Ciências Humanas e por tudo que ela representa para a sociedade. Acredito que essa experiência irá acrescentar tanto na minha formação pessoal quanto profissional”, destaca.

DSC 0370

Instituto

 

Criado em 2014, o IMCF busca fomentar o aprendizado na rede pública de ensino do Acre. Além disso, procura articular a formação básica com a formação profissional, oferecendo subsídios para a inserção dos acreanos no mercado de trabalho.

Só no primeiro semestre deste ano o estabelecimento disponibilizou para a população 15 cursos, entre eles, biologia, xadrez, robótica, filosofia, ética e matemática.

 

Nota de Pesar - Francisca Adelaide

16142410 1233641590023266 6610944157920134559 n

 

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte vem a público manifestar profundo pesar pelo falecimento da servidora Francisca Adelaide Alves, na madrugada desta quinta-feira, 19, em Rio Branco.

Francisca tinha 51 anos e há 23 anos trabalhava na Educação, no quadro de apoio administrativo, na escola estadual Carlos Casavecchia. Recentemente, a servidora vinha se tratando de problemas de saúde e encontrava-se afastada para recuperação.

De acordo com a direção da escola em que ela trabalhava, Francisca era uma profissional dedicada e responsável, que dividia sua vida entre o trabalho e os três filhos. A escola Carlos Casavecchia declarou luto oficial nesta quinta-feira. Por isso, a instituição estará fechada.

Em nome de toda a equipe da Educação, é com grande comoção que manifesto as nossas mais sinceras condolências. Que Deus conforte familiares e amigos neste momento de dor pela perda de um ente querido.

                       Marco Brandão

Secretário Estadual de Educação e Esporte      

Selecionados no Centro de Línguas têm até dia 19 para matricular-se

As matrículas para os selecionados nos cursos de idiomas do Centro de Estudo de Línguas (CEL) começaram nesta segunda-feira, 16, e vão até quinta-feira, 19. Para validar a inscrição é necessário se dirigir ao CEL e apresentar a documentação comprobatória.

cels2017

Para alunos da rede pública os documentos são os seguintes: cópia legível do RG ou da certidão de nascimento, xerox do comprovante de endereço e comprovante de matrícula (declaração) em escola da rede pública de ensino do ano corrente.

Já para os selecionados da comunidade, são exigidos os documentos citados acima, e ainda uma cópia legível de comprovante de conclusão de ensino médio ou de ensino superior.

O horário para a entrega dos documentos é corrido, das 8 às 15 horas. O CEL fica localizado em Rio Branco, na Avenida Getúlio Vargas, 3030, próximo ao Teatrão.

A lista dos selecionados encontra-se disponível no site da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE). Os classificados que não comparecerem até essa data perderão a vaga.

Os cursos se iniciam no 1º semestre de 2017. Ao todo foram oferecidas 700 novas vagas destinadas a alunos e comunidade, para os idiomas inglês, francês, espanhol e italiano.

Vagas remanescentes

 

As pessoas que não foram contempladas na seleção poderão pleitear as vagas remanescentes: “Assim que terminar o processo de matrículas dos selecionados, divulgaremos novas datas para os que desejem preencher o restante das vagas”, explica Claudenice Santos, coordenadora do CEL.

As datas serão divulgadas na próxima semana, no site da SEE: http://see.ac.gov.br/portal/

Bombeiros formam 50 motoristas e monitores do transporte escolar com técnicas de primeiros socorros

IMG 9799

Trabalhadores do transporte escolar recebem treinamento dos Bombeiros (Mardilson Gomes/SEE)

Pelo menos 50 motoristas e monitores, que trabalham no transporte escolar de crianças e adolescentes da rede pública estadual de educação, passaram por uma capacitação em primeiros socorros, nesta segunda e terça-feira, em Rio Branco.

A iniciativa é da Fundação Escola do Servidor Público do Estado do Acre, a Fespac, com o apoio do Corpo de Bombeiros, a pedido da Secretaria de Estado de Educação e Esporte do Acre, a SEE, onde esses profissionais estão lotados. No final da tarde desta terça-feira, eles receberam os seus certificados de conclusão, em cerimônia na Escola do Servidor Público.

Trata-se do primeiro curso da Fespac de 2017, e nesta primeira etapa, foram capacitados todos os motoristas e monitores dos ônibus escolares que operam nas zonas rurais de Rio Branco, de Porto Acre e de Senador Guiomard.

Por 16 horas, o sargento João Luiz Gonzaga, especialista em técnicas de primeiros socorros, ministrou aos trabalhadores técnicas de como estabilizar, de como lidar com fraturas e como retirar vítimas de um eventual acidente do ônibus escolar, evitando mais danos aos feridos até a chegada dos profissionais socorristas.

“É um aprendizado para a vida toda. Aqui, aprendi técnicas, como por exemplo, de colocar o colar cervical numa pessoa que eu jamais saberia fazer se não tivesse sido treinado adequadamente”, comemora Luciano Duarte, de 32 anos, motorista da linha da comunidade Barro Vermelho, onde atende cerca de 50 estudantes da escola Jorge Kalume.

Aliás, o curso é uma das muitas metas da Coordenação do Transporte Escolar da SEE visando mais qualidade aos serviços prestados em 2017.

“Sabemos que não é fácil o que esses trabalhadores fazem, muitos deles trabalhando de segunda a segunda por conta das atividades escolares extraclasses que acontecem na zona rural”, frisa Silvia Mendes, chefe da Coordenadoria de Transporte da SEE. “Muitas vezes, eles acordam cedo e só vão largar o serviço quando a última criança é entregue com segurança em seu lar”, completou a gestora.

Para o major James Clei Carvalho, diretor de Ensino do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado do Acre, “os conhecimentos assimilados serão importantes para a vida toda”. “Vocês agora têm algo precioso, que é saber preservar a vida”, lembrou o oficial.

Segundo a professora Heloísa Oliveira Pantoja, presidente da Fundação Escola do Servidor Público do Acre, o curso de primeiros socorros foi o primeiro a ser requisitado à Fespac na área de saúde, portanto, pioneiro, já que comumente, a demanda é para a área comportamental.

“O esforço deles, de mesmo no recesso de janeiro, quando estariam descansando, quererem se aperfeiçoar, me faz validar o entendimento de que a escola [do Servidor] cumpre o papel dela, que é o de formar nossos trabalhadores”, ressaltou Pantoja.

De acordo com a SEE e com a Fespac, ainda para este ano, o mesmo curso será oferecido aos motoristas e monitores dos municípios da região do Vale do Juruá. Em todo o estado, eles são poucos mais de 200 profissionais. 

Educação realiza formação pedagógica e de gestão a profissionais indígenas

1

Cerca de 200 professores indígenas foram qualificados pelo governo do estado do Acre, por meio da Secretaria de Educação e Esporte (SEE), desde dezembro de 2016. A atividade inclui ainda a formação de pessoas idosas, conhecidas por ‘sabedores’ tradicionais das aldeias, que também contribuem com a formação dos mais jovens.

Segundo a Coordenação de Educação Indígena, da SEE, participaram da formação, educadores das etnias kaxinawa, yawanawa, katukina e shanenawa.

A qualificação se deu em nível de magistério e teve como objetivo a preparação de docentes e de gestores escolares.

Com o fortalecimento da educação nas aldeias, houve a necessidade de preparar o indígena para administrar o ensino em sua região, já que a quantidade de alunos tem sido cada vez maior: em 2016, eles eram 5,8 mil.

A capacitação deixa o docente mais seguro e reflete positivamente nas comunidades, fortalecendo o ensino e reduzindo a evasão escolar", frisa Paulo Roberto, coordenador da Educação Indígena.

A coordenação de Educação Indígena tem como principal objetivo subsidiar o professor nas aldeias, melhorando a qualidade do ensino. Além disso, valoriza a língua materna indígena, preservando suas identidades e assegurando o ensino de qualidade às novas gerações.

Matrículas para o Centro de Línguas se encerram nesta quinta-feira.

hmm

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), por meio do Centro de Ensino de Línguas (CEL), informa que os alunos aprovados no processo seletivo para novas turmas do primeiro semestre de 2017 tem até esta quinta-feira, 19, para efetuar as matrículas.

A coordenadora do CEL, professora Claudenice Pires, explica que neste momento as vagas são destinadas em sua maioria aos alunos da rede pública de ensino. Somente a partir da próxima semana é que se terá uma ideia das vagas remascentes, que serão abertas à comunidade.

Para realizar a matrícula, o aluno aprovado deve levar a cópia dos documentos pessoais, como identidade, comprovante de residência, além da matrícula escolar. As aulas acontecem no próprio CEL, localizado na avenida Getúlio Vargas e nas escolas da rede pública.

Ao todo são oferecidas 850 vagas em cursos como inglês, espanhol, italiano e francês. A coordenadora explica que em todos os cursos há sempre vagas remanescentes e que a comunidade deve ficar atentas às vagas que não forem preenchidas.

“Mas nesse momento, nosso chamamento é para que os nossos alunos venham até o Centro de Línguas realizar suas matrículas porque o prazo encerra-se na próxima quinta-feira”, explica a coordenadora.

Dona de casa vence limitações e participa do Quero Ler

 

Marlene cultivou o sonho de aprender a ler e foi em busca de realizá-lo (Foto: Alexandre Noronha/Secom)

 

Marlene do Nascimento, 42 anos, tinha tudo para ser uma mulher amargurada. Daquelas pessoas que têm os olhos opacos, sem vida. Nasceu com uma deficiência que a obrigava a caminhar usando os peitos dos pés. Em 2015, durante a grande alagação ocorrida no Acre, a casa onde mora com o marido e o filho foi coberta pelas águas. Na baldeação, foi infectada por leptospirose, cuja bactéria afetou sua perna esquerda. Hoje não anda mais.

Mas Marlene tem os olhos brilhantes. E eles revelam uma alma sonhadora, imbatível. Há oito meses, quando olhou para a própria identidade borrada pela inundação, observou que lhe faltava algo. No espaço da “assinatura do titular” não havia o seu nome, o que lhe constrangia mais que a cadeira de rodas que ganhara no Hospital Santa Juliana, há dois anos.

Como a vida é feita de desafios, Marlene foi à luta mais uma vez. E buscou o nome de próprio punho, a identidade na sua maior essência. Com a ajuda da família, matriculou-se no programa Quero Ler, do governo do Estado, cuja meta é alfabetizar mais de 50 mil pessoas até o final de 2018, erradicando o analfabetismo no Acre ainda na gestão do governador Tião Viana.

Em todo o estado, o programa Quero Ler soma 921 turmas, das quais 493 são na zona urbana e outras 428 na zona rural. Isto resulta num total de 10.450 alunos, sendo 6.140 na cidade e outros 4.310 espalhados em diversas comunidades. Cerca de 500 professores são responsáveis pela alfabetização desses alunos.

Para criar a sala de aula improvisada, os moradores daquele pedacinho do bairro Bahia Velha, na travessa Jenipapo, foram se organizando e o sonho de Marlene já não era só dela. Era também do pedreiro Manoel de Barros, de 48 anos, dono da casa cedida. Era da esposa do pedreiro, Maria Francisca, de 36 anos, e também da filha do casal, a estudante de pedagogia Andressa de Barros, de 22, que auxilia a professora Ana Lúcia Lima Caetano com os 15 estudantes.

Manoel comprou do próprio bolso sete sacas de cimento, uma carrada de areia e algumas dezenas de telhas e construiu um puxadinho onde funciona o espaço alternativo. Ali, ele e a mulher também aprenderam a ler.

Nas noites de aula, acompanhada da cadela Ximbica e do filho Daniel, Marlene do Nascimento esquece as dores terríveis das injeções de benzetacil – tem de tomar uma a cada 21 dias –, e parte sorridente desde a Rua das Mangueiras, acomodada na sua cadeira de rodas, cujos aros já estão quase quadrados de tão carcomidos pelo tempo. Vai mergulhando em seus sonhos. Vai com a certeza da vitória. Ela já disse que continuará os estudos nesta segunda etapa do Quero Ler.

E dá um safanão nas adversidades da vida: “Dificuldade sempre tem na vida, mas tem que ir em frente. No início, eu não queria aceitar meus problemas. Mas as coisas nem sempre são como queremos e isso não pode ser barreira para nossos sonhos. Eu escrevi meu nome. Eu aprendi a ler. E isso já é muita coisa, não tem preço pra mim”.

 

Programa Quero Ler está com matrículas abertas para turmas de 2017 até o dia 24 de Janeiro

quero 17

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), por meio da Subsecretaria de Alfabetização, está com as matrículas abertas para a formação de novas turmas do Programa Quero Ler, primeira etapa de 2017. Elas devem ser feitasdiretamente com os professores até o dia 24 de janeiro.

De acordo com a professora Augusta Rosas, coordenadora do Programa, nesta nova etapa serão atendidos em torno de 8 mil alunos. No ano passado, foram matriculados e estão concluindo o processo de alfabetização 7 mil alunos. A meta do governo do Acre é chegar a 40 mil até o final de 2018.

Quem tiver dúvidas sobre as matrículas pode procurar o Quero Ler, localizado no Centro de Referências de Inovações Educacionais (CRIE – antigo Mirashopping), as secretarias das escolas estaduais ou os núcleos da SEE no interior. As aulas começam em fevereiro.

No ano passado, o Quero Ler chegou a quatro municípios (Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Feijó). Agora, chegará em mais quatro (Brasiléia, Xapuri, Epitaciolândia e Sena Madureira). A partir de março, com a abertura de 1.022 turmas, o programa chegará nos 22 municípios acreanos, atingindo mais 12 mil novos alunos.

Cada etapa do Programa tem uma duração de 5 meses, com 3 horas/aulas por dia, perfazendo um total de 300 horas/aulas. A partir daí, explica a coordenadora, o aluno está apto a ingressar na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA), onde é matriculado para dar continuidade aos estudos.

“O aluno sai com o domínio da escrita e da leitura, pronto para ingressar na EJA. Um dos principais objetivos do Programa é trabalhar a autoestima dos alunos, além claro, de erradicar o analfabetismo em nosso Estado”, explica a professora Augusta Rosas.

E para que isso possa se tornar uma realidade, o governo do Estado busca parceria, sobretudo com as entidades e com os novos gestores que acabaram de assumir os novos mandatos. “Buscamos o diálogo com todos os parceiros para que possamos concluir o Programa, em 2018, com muito sucesso”, disse.

MATRICULAS ONLINE

matricula online-01 cópia

MATRICULAS ONLINE

 

O processo de matrícula em 2017 ocorrerá via  Internet e tem como objetivo assegurar o acesso dos estudantes às unidades escolares públicas que oferecem o Ensino Fundamental e Médio e a sua permanência no processo de escolarização. O processo de organização de matrículas compreende as seguintes etapas:

Rematrícula;

Encaminhamento dos alunos que irão para outras escolas;

Confirmação/Efetivação da Matrícula de Encaminhamento;

Pré-matrícula para comunidade;

Divulgação do resultado;

Efetivação da matrícula para comunidade.

Período de Rematrícula:

De 19/12/16 a 06/01/17. Já ocorreram nas escolas. Garante a vaga de todos os alunos já matriculados nas unidades de ensino que progrediram para o ano seguinte ou não.

Período de Encaminhamentos Internos:

De 02/01/17 a 11/01/17. Estão ocorrendo nas escolas. A unidade de ensino que possui uma ou duas modalidades de ensino (Fundamental I ou fundamental II, ou as duas modalidades) deverá encaminhar seus alunos que encerram um ciclo de estudo, para outra unidade de ensino que faça parte do mesmo zoneamento. 

Período de Confirmação das Matrículas do Encaminhamento:

23/01/17 a 27/01/17 

A confirmação da matrícula do encaminhamento deverá ser realizada no período de 23 a 27 de janeiro. É de responsabilidade dos pais ou responsáveis a confirmação do encaminhamento da matrícula efetuada pela direção da escola de origem. Para efetivação, é necessário que os pais/responsáveis compareçam à secretaria escolar da unidade na qual a vaga foi indicada para que sejam apresentadas cópias dos documentos abaixo relacionados:

- Certidão de nascimento;

- Histórico Escolar ou declaração de conclusão do ano letivo de 2016;

- Comprovante de residência, IPTU, fatura de energia, fatura de água, fatura de telefone, contrato de locação ou outros documentos comprobatórios;

- Laudo médico para os alunos com deficiência e com transtornos globais do desenvolvimento;

- Foto 3x4 (uma).

A vaga do aluno só se efetivará mediante entrega dos documentos e assinatura dos  pais ou responsáveis da ficha de matrícula na secretaria da escola para qual solicitou vaga.

Matrículas para Comunidade ou Pré-Matrícula (online)

De 30/01/17 a 03/02/17

A pré-matrícula da rede pública estadual de ensino é o período em que o pai, responsável ou o próprio aluno, sendo maior de idade, tem para solicitar vagas no Sistema de Matrículas Online. Os pais ou responsável pelo estudante com a idade mínima de 06 anos completos ou a completar até 31/03/2017 poderá solicitar vagas.

Nesta etapa, podem solicitar uma vaga na rede estadual estudantes matrículados nas redes privada e/ou federal, e os vindos de outros Estados da Federação.

A pré-matrícula deverá ser solicitada, dentro do prazo mencionado, no seguinte endereço:

O estudante, pai ou responsável que não tiver acesso à internet pode se dirigir a uma das escolas da rede pública estadual, ou nos pólos de atendimentos no centro da cidade, na Av. Getúlio Vargas Nº 811, Centro, no CRIE (antigo prédio do Mira Shopping) e na Escola Heloísa Mourão Marques, localizada em frente a Secretaria Estadual de Educação para realizar a sua solicitação de matrícula ou ser orientado caso necessário.

Para solicitar a pré-matrícula é preciso preencher até cinco opções de unidades escolares onde deseja estudar, em ordem de preferência.

 A distribuição das vagas segue os critérios adotados pela rede estadual, em ordem de prioridade:

1º- estudante com deficiência;

2º- estudante que reside próximo à unidade escolar pleiteada desde que tenha vaga,

3º- aluno com menor idade;

4º- estudante que tenha irmão(s) estudando nessa unidade escolar, desde que tenha vaga,

O resultado da solicitação de matrícula estará disponível  nos dias 06 a 08 de fevereiro de 2017 no endereço :

 https://simaed.caedufjf.net/simaed/prematricula

O aluno (maior de 18 anos), pais ou responsável deverão acessar o site e efetivar a matrícula, em seguida deverão comparecer à escola para entregar a documentação acima solicitada. 

Lista dos selecionados para os cursos de idiomas do 1º semestre de 2017

cels2017

 
A documentação para os alunos selecionados são as que constam no edital. 
No ato da matrícula, o candidato deverá apresentar os documentos comprobatórios, abaixo relacionados: 
 
I – ALUNOS DA REDE PÚBLICA DE ENSINO
a) Cópia legível do RG ou da certidão de nascimento;
b) Cópia legível de comprovante de endereço;
c) Comprovante de matrícula em escola da rede pública de ensino, do ano corrente (declaração).
II – COMUNIDADE
a) Cópia legível do RG ou da certidão de nascimento;
b) Cópia legível de comprovante de endereço;
c) Cópia legível de comprovante de conclusão de ensino médio ou de ensino superior;
d) Comprovante de matrícula em escola da rede particular de ensino, do ano corrente (declaração).

 

listagem dos selecionados para os cursos de idiomas do 1º semestre de 2017

cels2017

A documentação para os alunos selecionados são as que constam no edital. 
No ato da matrícula, o candidato deverá apresentar os documentos comprobatórios, abaixo relacionados: 
 
I – ALUNOS DA REDE PÚBLICA DE ENSINO
a) Cópia legível do RG ou da certidão de nascimento;
b) Cópia legível de comprovante de endereço;
c) Comprovante de matrícula em escola da rede pública de ensino, do ano corrente (declaração).
II – COMUNIDADE
a) Cópia legível do RG ou da certidão de nascimento;
b) Cópia legível de comprovante de endereço;
c) Cópia legível de comprovante de conclusão de ensino médio ou de ensino superior;
d) Comprovante de matrícula em escola da rede particular de ensino, do ano corrente (declaração).

LISTA

Secretário Marco Brandão fala sobre escolas de tempo integral na TV Aldeia

DSC 0790

O Secretário de Estado de Educação e Esporte (SEE), iniciou nesta segunda-feira, 9, uma série de entrevistas em rádios e TVs de nossa capital para falar da implantação das escolas de tempo integral, modelo que vai revolucionar o ensino médio em nosso Estado.

Na manhã desta segunda ele foi até a TV Aldeia, onde gravou para o jornal Notícias da Aldeia (TV Aldeia). Para o jornalista Andryo Amaral, o secretário Marco Brandão falou dos desafios e das vantagens que o ensino em tempo integral trará à comunidade escolar, sobretudo aos estudantes.

Na terça-feira, 10, será a vez da TV Rio Branco, onde gravará para o programa Boa Noite Rio Branco. Já no dia 11, ele falará sobre as escolas em tempo integral para a TV Acre e no dia 12, quinta-feira, será a vez da Rádio Difusora, onde falará dentro do programa Gente em Debate.

As escolas em tempo integral têm mostrado três resultados onde o modelo já foi implementado. Eleva os indicadores  na medida em que os alunos aprendem mais, reduz drasticamente os índices de evasão e repetência e faz com que os jovens tenham uma nova atitude diante do processo de ensino-aprendizagem.

Nesse modelo, além dos alunos terem acesso a todos os componentes curriculares que já são oferecidos atualmente, eles ainda irão agregar atividades dentro do itinerário formativo ao qual fizer opção.

“Isso é a reforma do ensino médio. O aluno sai preparado tanto para o Enem quanto para a vida. O sucesso é garantido porque com o tempo integral teremos uma escola que irá instigar os alunos a aprender a cada vez e ser protagonistas do próprio conhecimento”, afirmou o secretário Marco Brandão.

Novos equipamentos adquiridos pela Secretaria de Educação garantem mais qualidade do ensino nas escolas da zona rural

DSC 0702

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) tem trabalhado para garantir educação de qualidade, principalmente nas localidades mais distantes e de difícil acesso. Por isso, a aquisição de novos equipamentos é importante tanto para a comunidade escolar quanto para as equipes que trabalham no Ensino Rural.

Nesta sexta-feira, 06, o secretário Marco Brandão foi até a escola rural Ena Oliveira de Paula, localizada no Projeto de Assentamento (PA) Moreno Maia, onde aproveitou a oportunidade para testar os novos barcos que foram adquiridos através de convênio com o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird).

A visita à escola foi acompanhada também por equipes que auxiliam e realizam o planejamento pedagógico na zona rural. Entre os equipamentos adquiridos pela SEE estão 12 caminhonetes, 24 motos, 07 quadriciclos, além de 29 barcos, fundamentais durante o inverno.

Para o secretário, a idéia é que uma educação de qualidade possa chegar a todas as comunidades de nosso Estado e prestar assistência às escolas. “Com isso a gente tem um padrão de qualidade mais próximo para todas as escolas na medida em que garantimos a aprendizagem dos alunos e melhoramos os resultados”, disse.

Além de servir à comunidade, os novos equipamentos também facilitam o trabalho das equipes da SEE, sobretudo as que trabalham com o ensino na zona rural. Dessa forma, o acesso é realizado o ano inteiro, sem interrupções dos planejamentos.

“A idéia é que a gente possa ter equipes o tempo inteiro chegando às comunidades e dialogando com as escolas na construção desse processo de avaliação, de intervenção pedagógica e de diversificação das práticas dentro do ambiente escolar”, afirmou o secretário sobre os novos equipamentos.

EJA abre inscrições para o Primeiro semestre de 2017

Card SEE

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte - SEE, através da Coordenação de Educação de Jovens e Adultos-EJA, informa que estão abertas as matrículas para o 1º semestre de 2017. As vagas são destinadas prioritariamente aos Jovens e Adultos que desejam concluir sua escolarização ou ingressar em uma das modalidades da EJA:

EJA I (ENSINO FUNDAMENTA I) - a partir de 15 anos de idade;

EJA II ( ENSINO FUNDAMENTAL II) - a partir de 18 anos de idade;

EJA MÉDIO (ENSINO MÉDIO) - a partir de 18 anos de idade.

O período de matrícula será do dia 16 a 27/01/2017.

PROCURE UMA ESCOLA MAIS PRÓXIMA DE SUA RESIDÊNCIA.

PARA MAIORES INFORMAÇÕES:

 Secretaria de Estado de Educação e Esporte - Coordenação de Educação de Jovens e Adultos e Programas Especiais

Telefones: 3213 2368 / 3213 2357 / 3213 2347.

Núcleos da SEE nos Municípios:

 Acrelândia 3235-1320

Assis Brasil: 3548-1122

 Brasiléia: 3546-4356

 Bujari: 3231-1142

 Capixaba: 3234-1195

 Cruzeiro do Sul: 3322-2471

 Epitaciolândia: 3546-4180

 Feijó : 3463-2183

 Jordão: 3464-1192

 Mar.Thaumaturgo: 3325-1193

 Mâncio Lima: 3343-1124

 Manoel Urbano: 3611-1123

 Plácido de Castro: 3237-1030

 Porto Acre: 3261-1183

 Porto Walter: 3325-8129

 Rodrigues Alves: 3342-1022

 Santa Rosa: 3615-1043

 Sena Madureira: 3612-2838

 Senador Guiomard: 3232-2298 -

 Taraucá: 3462-1328

 Xapuri: 3542-2358

Secretário de Educação Marco Brandão dialoga com professores de Artes

DSC 0662

O secretário de Estado de Educação e Esporte (SEE), Marco Brandão, se reuniu com representantes dos profissionais de artes na manhã desta quinta-feira, 5, na sala de reuniões da própria Secretaria, onde debateu a ampliação do espaço para os profissionais no ensino da disciplina.

Atualmente, 58 dos 80 profissionais atuam como professores provisórios dentro do quadro da Secretaria, o que representa um total de 72,5% da categoria. Mesmo assim, o governo do Acre, por meio da SEE, assumiu o compromisso de continuar valorizando os trabalhadores.

Além de entender a importância do ensino de artes nas escolas como parte do processo de conhecimento dos alunos, o secretário Marco Brandão destacou que o ensino da disciplina, se feita por bons profissionais, pode ser transformador na vida da comunidade.

E como parte dessa política de valorização, todos os esforços serão realizados no sentido de ampliar ainda mais o número desses professores na rede. “Vamos ampliar em mais dez vagas neste primeiro semestre e no segundo teremos a contratação de  mais professores através de processo seletivo”, explicou.

“Esse aumento na oferta de mais profissionais será realizada nas escolas que sejam referência onde se possa fazer um trabalho diferenciado. O mais importante, nesse momento, é o diálogo com os trabalhadores, onde nosso compromisso é, gradativamente, abrindo novos espaços e oportunidades”, afirmou o secretário.

Educação confirma Ejorb e Boa União entre as sete escolas de dois turnos

Escola José Ribamar Batista.  Tempo Integrau 2

SUTIÃ: Saiba como vai funcionar, na prática, a escola de tempo integral

Educação confirma Ejorb e Boa União entre as sete escolas de dois turnos

Seu filho acaba de assistir a uma aula de genética em que o tema principal foi mutação da célula para gerar hipotéticos indivíduos com uma anomalia rara. Esses seres serão gerados como uma subespécie humana – ou o contrário, com habilidades superiores aos atuais homo sapiens –, a ponto de dominá-los sobre a face da terra.

Ciente da curiosidade que o professor de biologia despertou nos estudantes, na sala ao lado o de sociologia espera pela mesma turma para discutir bioética.

Ele vai ministrar suas aulas com base sobre até que ponto seria aceitável, do ponto de vista moral, uma alteração celular que criasse novos seres semelhantes a nós, mas com características de inferioridade ou super-humanos tão distintos da gente.

A reflexão está aberta e sem quase nenhum ‘decoreba’, mas com o cuidado de projetar no aluno um novo tipo de aprendizado, mais analítico e desmembrado do ensino tradicional.

Se você achou essa escola interessante, pois saiba que ela vai existir no Acre já em abril, quando começa o ano letivo na rede pública de ensino. Bem-vindo à escola de tempo integral.

De acordo com o secretário de Estado de Educação e Esporte, Marco Brandão, ao menos sete escolas passarão a adotar o sistema de dois turnos, nesta primeira fase, num investimento de ao menos R$ 28 milhões, dos quais R$ 7 milhões são da contrapartida do governo federal e outros R$ 21 milhões, de recursos próprios do governo do estado do Acre.

Nesta primeira etapa, apenas o ensino médio será contemplado. As duas primeiras escolas já anunciadas para funcionarem em tempo integral serão a José Ribamar Batista,a Ejorb e a Boa União, ambas localizadas na região de maior densidade populacional na capital, a Baixada da Sobral, com mais de 60 mil habitantes. Outras cinco estão em processo de avaliação.

“Primeiramente, é preciso entender que não há a ideia de turno e contraturno. O estudante terá a manhã e a tarde na escola, mas poderá ter aulas de português de manhã e à tarde, matemática ou robótica, ou vice-versa. Terá dois lanches com almoço no meio e participar de projetos complementares, por exemplo, tudo a critério dos professores e coordenadores”, explica Marco Brandão.

A ideia das escolas de tempo integral vem sendo construída ao longo de muitos anos e deverá ter a ‘cara do jovem’, segundo Brandão.

“Elas terão de ser diferenciadas e atraentes, mas principalmente, que contribua para o projeto de vida do jovem, porque o mundo é dinâmico, está se transformando, e hoje o que funciona é a capacidade de ser multifuncional, de mediar conflitos, num mundo global que exige o aprendizado de diferentes línguas, por exemplo, e a lógica matemática precisa ser vista do ponto de vista prático, para ser aplicada no dia a dia”, pontua o secretário.

RETRANCA – RETRANCA

Instituições vão priorizar projetos sociais e empreendedores

Disciplinas optativas e experimentações em laboratórios, construção e participação de projetos sociais que ajudem a comunidade. Programas empreendedores, ambientalmente sustentáveis e até a forma como as paredes da escola serão pintadas também fazem parte do programa educacional das escolas de tempo integral.

E como serão as matrículas dos estudantes? “Elas vão seguir o fluxo normal do governo do estado do Acre, segundo o critério das escolas pólos, como já acontecem”, explica Marco Brandão.

Agora, os estudantes que optarem por não participar do tempo integral vão ser redirecionados para outras instituições.   

Por se tratar de um processo de construção demorado, e que no Acre começou muito antes, com a formação dos professores, a ideia é que para 2018 essas escolas se estendam para o ensino fundamental e para a zona rural.

Atualmente, a rede pública estadual de ensino tem mais de 600 escolas.

RESLEY SAAB

Secretaria de Educação inova processo de matrículas para vagas remanescentes

matricula1

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) inova mais uma vez e facilita o processo de matrículas para a comunidade ao oferecer, a partir deste ano, um sistema on line também para a comunidade de um modo geral.

Em 2016, o sistema começou a ser testado, explica a coordenadora de matrículas da SEE, Silzete Lima, para os encaminhamentos, quando o aluno termina um ciclo na rede municipal e, para iniciar o próximo, precisa ingressar na rede estadual.

Ela lembra que a matrícula cidadã, como é chamada essa parceria, existe desde 2006 e que este ano também será implementada nos municípios de Cruzeiro do Sul, Feijó, Tarauacá, Brasiléia, Xapuri e Senador Guiomard. “Com esse sistema já se encaminha o aluno por regional para ele não ficar longe de sua casa”, explica.

Com o novo sistema, o governo do Acre, por meio da SEE, irá disponibilizar um link, disponível a partir do dia 30 de janeiro, para que pais e responsáveis possam acessar as vagas remanescentes. Nele, será feita a opção por três escolas e o próprio sistema informará sobre a escola em que se deverá matricular o aluno.

Entre as vantagens desse novo sistema de matrículas é que ela evitará filas e trará mais comodidade. Silzete destaca, entretanto, que é necessário os pais, dentro do prazo estabelecido, levar a documentação dos filhos até a escola para concluir o processo de matrícula.

Caso os pais ou responsáveis não consigam acessar a rede mundial de computadores, a SEE disponibilizará quatro pólos de atendimento on line. Um na escola Heloisa Mourão Marques (HMM), outro no CRIE e outros dois no Segundo Distrito, em locais ainda a serem definidos.

“O pai ou responsável vai acessar o endereço eletrônico (disponível a partir do dia 30 de janeiro) e efetuar a matrícula do aluno, tornando o processo mais cômodo, fácil e também democrático”, explica a coordenadora.

Calendário de Matrículas

  • Até o dia 06 de janeiro

Rematrícula dos alunos que já estão na rede de ensino do Estado

 

  • Do dia 23 ao dia 27 de janeiro

Prazo em que os pais deverão levar a documentação dos alunos que já foram rematriculados pela própria escola.

 

  • Do dia 30 de janeiro a 03 de fevereiro

Matrículas de vagas remanescentes para a comunidade que, a partir de agora, será feita pela rede mundial de computadores.

 

  • Dias  06, 07 e 08 de fevereiro

Datas em que os pais devem levar a documentação dos filhos na escola selecionada para efetuar a matrícula dessas vagas remanescentes.

Secretário de Educação Marco Brandão prestigia cerimônia de formatura dos alunos da EJORB

DSC 0629

A Escola Estadual José Ribamar Batista (EJORB), localizada no bairro Aeroporto Velho, região da Baixada da Sobral, realizou nesta terça-feira, 27, a cerimônia de formatura de cento e quatro alunos do terceiro ano do ensino médio, dos turnos da manhã e da tarde.

A solenidade, que aconteceu no auditório da própria Secretaria, foi prestigiada pelo secretário de Estado de Educação e Esporte (SEE), Marco Brandão, pela gestora da escola, professora Sirlene Luz, professores, funcionários, além de familiares e amigos dos formandos.

A EJORB é uma sete escolas que foram selecionadas pelo Ministério da Educação (MEC) para, a partir de 2017, oferecer à comunidade educação em tempo integral aos estudantes do ensino médio.  Serão doze novas turmas dentro desta nova modalidade.  

A professora Sirlene Luz diz que recebeu a notícia de que a escola estava entre as escolhidas como surpresa, mas também como um grande desafio. “Esse é um desafio que está sendo lançado para a nossa equipe e acreditamos que esse novo modelo vai ajudar a melhorar o desempenho dos nossos alunos, fazendo com que eles possam obter melhores resultados”, disse.

O secretário Marco Brandão destacou que a EJORB possui um diferencial muito grande, tratando os alunos com muito respeito e dignidade, dando as necessárias condições para que eles possam se formar, sobretudo, como cidadãos. “A escola tem obtido bons resultados e colocados muitos alunos na universidade e também preparado seres humanos muito bons”, frisou.

Sobre o desafio que a escola terá a partir de 2017, o secretário acredita no bom desempenho de toda equipe. “Tenho certeza que vai ser um excepcional trabalho que eles irão fazer frente ao ensino integral e os resultados serão ainda melhores, reduzindo ainda mais os índices de evasão e repetência”, afirmou.

Sete escolas da capital passarão a ter ensino integral no ensino médio a partir de 2017

Lourenço

O Ministério da Educação (MEC) divulgou na última sexta-feira, 23, a lista final das unidades de ensino aprovadas no Programa de Escola em Tempo Integral. Ao todo, serão 523 instituições contempladas em 26 unidades da federação.

No Acre, das sete escolas apresentadas dentro do plano de adesão pelo governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), todas foram aprovadas pelo MEC e passarão a ter ensino em tempo integral no ensino médio a partir do ano letivo do ano que vem.

As escolas que funcionarão dentro desta nova modalidade são: Sebastião Pedrosa (Arena da Floresta), Boa União Ensino Jovem (Boa União), José Ribamar Batista (Aeroporto Velho), Humberto Soares (José Augusto), Instituto Lourenço Filho (Vila Ivonete), Armando Nogueira (Tucumã) e Glória Perez (Xavier Maia).

A partir da implantação das escolas em tempo integral, serão geradas 266 mil novas matrículas em todo o país. Somente em nosso Estado serão mais 3,8 mil vagas. Os recursos para garantir a implementação do Programa serão repassados através do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Além das sete escolas urbanas em Rio Branco, o governo do Acre tem projeto para levar o ensino médio em tempo integral também para o interior, permitindo que este novo modelo de ensino possa a outros municípios do nosso Estado.

Secretaria de Educação dialoga com os pais sobre ensino em tempo integral

DSC 0600

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), por meio das diretorias de

Ensino e Gestão Institucional, se reuniu com os pais dos alunos por toda esta quarta-feira, 21,  no auditório da SEE, para esclarecer pontos acerca da implantação do ensino em tempo integral no ensino médio a partir de 2017.

Representaram a Educação nos encontros com os pais a diretora de Ensino, professora Rúbia Cavalcante e o diretor de Gestão Institucional, professor Justino Queiroz, que se reuniram os pais de alunos das escolas Boa União, Humberto Soares, Armando Nogueira e José Ribamar Batista (Ejorb).

Estas e outras três escolas da nossa capital passarão a ter, a partir do ano letivo de 2017, educação em tempo integral para o ensino médio, proposta de reformulação que vem sendo apresentada para adequar e melhorar a qualidade da aprendizagem aos alunos.

E para garantir essa qualidade, o governo do Estado também faz a sua parte reformando os espaços onde os alunos passarão a ter o ensino a partir dessa nova metodologia. Cobertura de quadras, construção de novos banheiros e aquisição de equipamentos são alguns desses investimentos.

Dentro da nova proposta, a centralidade do modelo é o jovem e o seu projeto de vida, conforme explica a professora Rúbia Cavalcante. “Esse modelo leva em conta uma formação acadêmica de excelência, uma formação para a vida e de competências para o século XXI”, disse.

Essa matriz curricular proposta está dentro da nova visão de educação que leva em conta uma base nacional comum, com componentes curriculares obrigatórios e uma parte diversificada, onde haverá disciplinas eletivas, práticas experimentais e estudos orientados.

Mais artigos...

  1. Centro de Estudos de Línguas oferece 700 vagas para o 1º semestre de 2017
  2. 1ª RETICAÇÃO EDITAL/SEE/CEL Nº 03/2016
  3. PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DO PROGRAMA QUERO LER
  4. Secretário Marco Brandão recebe Moção de Aplauso na Aleac
  5. PROCESSO SELETIVO CEL 1º SEMESTRE 2017
  6. Secretário de Educação Marco Brandão dialoga com alunos e professores da Escola Sebastião Pedrosa
  7. Secretaria de Educação e Aleac debatem em audiência pública implantação de escolas em tempo integral
  8. Secretaria de Educação realiza formação para assessores pedagógicos
  9. Educação divulga resultado preliminar das bolsas do Programa Quero Ler
  10. Convite do Centro de Apoio Pedagógico para atendimento às pessoas com Deficiência Visual
  11. Secretário de Educação visita professores e alunos do Quero Ler em Cruzeiro do Sul
  12. II Edital Gestão Escolar para a Equidade – Juventude Negra
  13. Escolas Edmundo Pinto e Plácido de Castro, de Porto Acre, realizam projetos sobre a Consciência Negra
  14. Cruzeiro do Sul receberá a primeira edição da Viver Ciência Juruá
  15. Centro de Línguas oferece minicurso de língua estrangeira para professores
  16. Lista final de inscritos no processo de certificação de coordenadores pedagógicos
  17. Secretário Marco Brandão fala da importância do ENEM para alunos da Escola Santiago Dantas
  18. Professora Francisca Freitas classifica três trabalhos na Olimpíada de Língua Portuguesa
  19. Educação realiza atividades no mês do servidor
  20. Final do Festival Coral Estudantil será realizada nesta segunda-feira
  21. Instituto Dom Moacyr abre inscrições para cursos na área de Saúde
  22. Inscrições deferidas.
  23. Orientações Curriculares
  24. LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE
  25. SEE abre certificação para futuros diretores de escolas
  26. CURSO DE METODOLOGIAS PARA LEITURA ,ESCRITA E ALFABETIZAÇÃO NO SISTEMA BRAILLE.
  27. O Governador do Estado do Acre, Tião Viana, e o Secretário de Estado de Educação e Esporte, Marco Brandão, têm a honra de convidá-lo(a) para participar da entrega de 448 Computadores Interativos com Lousa Digital do Programa Nacional de Tecnologia
  28. RELAÇÃO DOS SELECIONADOS e CADASTRO DE RESERVA
  29. Oportunidade de intercâmbio nos EUA para professores
  30. Centro de Estudos de Línguas começa aulas para 4 mil alunos
  31. Instituto de Matemática, Ciências e Filosofia abre inscrições para cursos do 1º semestre
  32. CAP-AC divulga calendário 2016 para cursos de Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual
  33. Centro de Estudo de Línguas retorna às aulas na próxima segunda-feira
  34. CENSO ESCOLAR 2015
  35. Abertura de chamada pública será dia 16
  36. Professores da SEE começam o planejamento escolar
  37. SEE põe em prática Programa de Erradicação do Analfabetismo no Acre
  38. Diretores de escolas e SEE definem metas para o ano letivo de 2016
  39. Governo convoca candidatos para tomar posse em concurso da Educação
  40. SEE oferta curso de atualização para professores de espanhol da rede pública

Conta